Furacão Luxemburgo assusta São Paulo, Santos e Corinthians

wanderlei

Vanderlei Luxemburgo voltou da China em junho ao ser demitido do Tianjin, da Segunda Divisão. Estava quieto até o fim de setembro. De repente, em apenas uma semana neste início de outubro, provocou um furacão com declarações polêmicas envolvendo Felipão, corrupção no futebol chinês e Pep Guardiola. E entrou no radar de São Paulo, Corinthians e Santos, clubes enroscados com seus treinadores no Brasileirão-2016. Seu nome sofre forte rejeição nas torcidas dos três clubes, indicam sondagens nas redes sociais.

Antes de entrar no epicentro do tornado criado por Luxemburgo, vale mostrar como o técnico mexeu nos bastidores do São Paulo, Corinthians e Santos.

São Paulo
Em posição de alto risco na tabela do Brasileirão, com 36 pontos, o São Paulo enfrenta muita turbulência. O presidente Leco, em recentes declarações, não garantiu a permanência de Ricardo Gomes no comando do time em 2017. Abriu assim especulações de que está atrás de um novo treinador.

Apresentação-do-técnico-Ricardo-Gomes-no-spfc-02Neste contexto, o nome de Luxemburgo surgiu com força no Morumbi. Leco recebeu sondagens de agentes próximos oferecendo o técnico ao clube. O dirigente teria vetado. “Aqui, não”, disse a interlocutores.

Coincidência ou não, neste domingo (09/11), o novo homem forte do futebol do São Paulo, Marco Aurélio Cunha, chamado de emergência por Leco para salvar o time no Brasileirão, se encontrou com Luxemburgo em um restaurante de um shopping na capital paulista. A foto de Marco Aurélio e o técnico rodou as redes sociais.

Marco Aurélio tratou de reforçar, via Twitter, o tom “casual” do seu encontro com Luxemburgo. Veja os posts do dirigente:

20161010091108566562o“Foi legal encontrar Vanderlei Luxemburgo na Ráscal do Shopping Higienópolis. Fazia dez anos que não falava com ele. Vi sua família, filhas e Fabiano (genro, ex-jogador). Felizmente ao longo de tantos anos fiz amigos, convivi e quando os encontro em ambiente aberto não preciso esconder de ninguém. Que bom. Se fosse seguir preferências, escolhas de torcedores, teria 10 técnicos, 200 jogadores, e nenhuma ordem. Respeito opiniões mas sabemos fazer”, escreveu Marco Aurélio.

Luxemburgo disse, em recentes entrevistas, que gostaria muito de dirigir o São Paulo.

“Eu acho que tenho de dirigir o São Paulo. Se não der jeito, tudo bem, mas um profissional da minha qualidade tem que passar pelo São Paulo”, disse o treinador.

Santos
Insatisfeitos com a campanha do time no Brasileirão, um grupo de conselheiros do Santos pressiona o presidente Modesto Roma Jr a demitir Dorival Junior e contratar Luxemburgo. Um dos entusiastas da volta do treinador ao clube é o ex-presidente Marcelo Teixeira, um aliado de peso de Modesto Roma.

Conselheiros teriam enviado um documento ao presidente pedindo a volta de Luxemburgo.  Em resposta aos insatisfeitos, o dirigente garantiu a permanência de Dorival Júnior.

o_20131112013643_fluminense_age_rapido_e_confirma_dorival_junior_como_substituto_de_luxa“Lenda urbana. Não recebi carta (dos conselheiros) nenhuma. Não tenho menor interesse de pensar em trocar de treinador. Desde a chegada dele (Dorival), nós chegamos bem no Brasileiro (2016), na final da Copa do Brasil (2016), ganhamos o Campeonato Paulista (2017) e estamos em quarto lugar no Brasileiro. Não é hora de de começar a publicar notícia fria”, disse Modesto Roma.

Luxemburgo é muito ligado a Marcelo Teixeira, com quem dividiu conquista de títulos importantes no Santos. Teixeira socorreu o Santos com um empréstimo quando Modesto Roma assumiu a presidência do clube há quase dois anos.

Corinthians
Ao demitir Cristóvão Borges, o presidente Roberto Andrade se apressou em nomear o auxiliar Fabio Carille como técnico efetivo do time. Disse que iria com Carille até o fim a temporada. Com a queda do Corinthians ladeira abaixo no Brasileirão, despencando do terceiro para o nono lugar, Andrade foi pressionado por dirigentes influentes e a contratar um treinador de peso e o nome de Luxemburgo ganhou força.

elv20160615030Andrade reluta em apostar no polêmico treinador. Nos bastidores do clube, o ex-presidente Andrés Sanchez e o médico Joaquim Grava, de muito peso na gestão do Corinthians, têm preferência pela volta de Luxemburgo – dirigiu o time em 1998 e 2001.

“Ninguém do Corinthians me ligou. Não tive nenhum contato com alguém do clube. A conversa que tive com a minha família foi de ficar até o final do ano descansando. Mas, é claro, sou um homem do futebol e se chegar alguma (proposta) nós vamos conversar”, disse Luxemburgo na semana passada.

Confira algumas frases polêmicas do treinador em recentes programas na BAND, SPORTV e FOX SPORTS:

“Querem jogar a conta do 7 a 1 nos treinadores brasileiros. Quem levou de 7 a 1 foi o Felipão, nãos os técnicos do Brasil”

“Guardiola é mais marketing do que técnico”

“Para o futebol chinês crescer tem que parar com a própria corrupção. Só (jogo) armado. Lá é constante”.

 

Anúncios