Brasileirão 2019: conheça favoritos ao título e candidatos ao rebaixamento

Astros do Brasileirão 2019 – imagem: CBF

Brasileirão 2019 começa neste fim de semana (27 e 28/4) com expectativa de jogos equilibrados e desconfiança do torcedor a respeito do futebol que os times vão mostrar ao longo do campeonato. Críticos de plantão apontam para um baixo nível técnico, não muito diferente das últimas edições. Maior cobrança é por jogos de mais técnica, de bom trato na bola, e menos jogos de resultados.

Dos 20 treinadores que iniciam o Brasileirão, apenas Thiago Nunes (Athletico-PR), Jorge Sampaoli (Santos), Fernando Diniz (Fluminense) e Renato Gaúcho (Grêmio) recebem carimbo positivo dos analistas pela forma como seus times se apresentam. Pode se esperar bom futebol de suas equipes.

Felipão (Palmeiras), Abel Braga (Flamengo), Mano Menezes (Cruzeiro), expoentes da velha geração, e Fabio Carille (Corinthians), Odair Helmann (Internacional) e Cuca (São Paulo) são avaliados como treinadores resultadistas – importa pouco como os times jogam e sim o resultado final das partidas.

Rogerio Ceni (Fortaleza) também entra na lista dos que geram grande expectativa. Mesmo no comando de uma equipe de poucos recursos financeiros, em comparação aos clubes do grupo de elite, Ceni tem uma grande oportunidade de deixar mais claras suas ideias de futebol. A conferir.

Candidatos ao título, postulantes à Libertadores e briga contra rebaixamento passam pelo desempenho desses treinadores e, mais relevante, orçamento das principais forças do futebol brasileiro. Cabe uma ressalva: time que melhor se adequar à nova dinâmica do jogo com ação do VAR, presente nas 380 partidas do Brasileirão, pode levar vantagem.

Chuteira FC, com a cotação (♦), aponta os favoritos ao título, quem vai brigar por Libertadores e os candidatos a rebaixamento:

Favoritos a campeão

Palmeiras (♦ ♦ ♦ ♦ ♦) –Entra firme para sustentar o título de 2018. Tem um grupo qualificado de jogadores, suporte financeiro e a mão forte de Felipão entrando na sua segunda temporada no comando do time. Se levar a sério o campeonato, nos momentos compartilhados com a Libertadores, pode levantar a taça mais uma vez.

Cruzeiro (♦ ♦ ♦ ♦) – Dessa vez parece mais inclinado a dar prioridade ao Brasileirão, tendo em conta a correta montagem do grupo com pelo menos duas opções de bom nível técnico para cada posição. Nas últimas edições, o clube, com a concordância de Mano Menezes, deu atenção especial à Copa do Brasil. Campeonato nacional tem ficado em segundo plano.

Briga por Libertadores

Grêmio (♦ ♦ ♦ ♦ ♦) – Vaga na Libertadores 2020 é uma barbada ao time de Renato Gaúcho. Seria postulante ao título nacional não fosse a prioridade estabelecida pelo comando do clube e treinador: ganhar as Copas. Nas últimas edições do Brasileirão, Renato jogou quase 50% das partidas com os reservas. Muito do futuro do Grêmio passa pela classificação ainda não garantida às oitavas de final da Libertadores 2019.

Flamengo (♦ ♦ ♦ ♦ ♦) – É outro com vaga garantida na Libertadores 2020 e também candidato a campeão do Brasileirão. Pesa contra a instabilidade técnica do time e o desempenho razoável até aqui. Abel Braga tem sido muito cobrado e seu futuro no comando do time é uma incerteza. Se sobreviver na Libertadores, passando às oitavas de final, pode disputar o Brasileirão sem muita pressão.

Internacional (♦ ♦ ♦ ♦ ♦) – Muito difícil ficar fora da Libertadores 2020. Tem time e grupo qualificado para brigar pelo título do Brasileirão, desde que não se deixe levar por problemas internos. Odair Helmann entra na sua terceira temporada no comando da equipe, o que contribui, e muito, para sustentar a confiança dos jogadores e torcida.

Corinthians (♦ ♦ ♦ ♦) – Criticado pela forma como vem jogando neste início de temporada, se sustentou com a conquista do Paulistão e classificação às oitavas de final. Como Carille é outro resultadista, pode se dar bem em um campeonato longo e de regularidade como é o Brasileirão. Vai lutar por vaga na Libertadores e até pensar no título nacional se a concorrência fraquejar.

São Paulo (♦ ♦ ♦) – É a maior incógnita do campeonato. Cuca acaba de chegar e alguns jogadores – Pato, Tchê Tchê e Victor Bueno – vão estrear no time nesta primeira rodada. Se Cuca encaixar novas peças com os garotos, que revigoraram a equipe no Paulistão, Tricolor pode ser ambicioso no Brasileirão.

Posição intermediária da tabela

Santos (♦ ♦ ♦ ♦ ♦) – Sampaoli pode levar o time a brigar por posições valiosas no campeonato, desde que receba da diretoria pelo menos dois atacantes de alto nível. Treinador argentino vai disputar pela primeira vez um campeonato de pontos corridos no Brasil, com viagens longas e desgastantes e ambientes bem distintos. Se entender a dinâmica do Brasileirão e sustentar seu estilo de jogo,Sampaoli pode fazer a diferença.

Athletico-PR (♦ ♦ ♦ ♦ ♦) – Muito do desempenho do time na competição nacional passa pela sua caminhada na Libertadores 2019. Se avançar no torneio internacional, vai ter de dosar suas forças. Como o time não se desgastou no estadual – Athletico jogou com o time Sub-23 – pode ter fôlego nestas rodadas iniciais do Brasileirão até a paralisação no período da Copa América par aumentar seu cacife e reivindicar algo valioso.

Fluminense (♦ ♦ ♦ ♦ ♦) – Assim como Santos e Athletico, que apostam na visão de jogo de seus treinadores, clube carioca está nas mãos de Fernando Diniz. Treinador com ideias diferentes da maioria pode levar o Flu a um porto seguro, apesar da escassa mercadoria que tem para trabalhar. Se Ganso e Pedro se encaixarem, a expectativa é de bons resultados.

Atlético-MG (♦ ♦ ♦) – Inicia o campeonato em crise, após queda da Libertadores e Mineiro. Continua com técnico interino e até chegar um novo treinador e arrumar a casa, vai sofrer nas oito primeiras rodadas. Pode ir do céu ao inferno. Tem bons jogadores e um time desorganizado.

Bahia (♦ ♦ ♦) – Time tem alto poder de fogo no ataque, como mostrou na Copa do Brasil e estadual até aqui. Roger Machado acaba de chegar com sua proposta de controle de jogo. Pode emplacar, desde que tenha boas opções no grupo de jogadores – por enquanto sem muitas alternativas.

Candidatos ao rebaixamento

CSA (♦ ♦ ♦ ♦ ♦) – De volta à Série A depois de mais de uma década, se vê obrigado a não desafinar em casa e ter humildade de não se expor fora de seus domínios. Diferença de orçamento para as grandes forças e até as intermediárias vai pesar na reta final.

Ceará (♦ ♦ ♦ ♦ ♦) – Depois de lutar até as últimas rodadas para não ser rebaixado no Brasileirão 2018, entra agora em crise com a demissão do técnico Lisca Doido. Não se reforçou para valer como manda o figurino do campeonato nacional.

Avaí (♦ ♦ ♦ ♦ ♦) – É outro que vai ter de fazer a diferença nos jogos em casa. Não pode perder pontos no seu campo para candidatos à degola. E apostar na experiência do veterano treinador Geninho. É pouco.

Goiás (♦ ♦ ♦ ♦ ♦) – Entra no Brasileirão com treinador recém-contratado (Enderson Moreira), após demissão de Mauricio Barbieri. Tem alguns jogadores experientes, mas sem um grupo qualificado. Vai sofrer até o fim.

Chapecoense (♦ ♦ ♦ ♦) – Ney Franco tem cacife suficiente para sustentar a Chape na Série A. Clube se reforçou com jogadores de bom nível, mas ainda muito distante do ideal. É outro obrigado a fazer a diferença nos jogos em casa.

Fortaleza (♦ ♦ ♦ ♦) – Tudo depende de Rogerio Ceni. Se o treinador moldar o time às exigências do logo campeonato de pontos corridos, pode sobreviver. A favor a empolgação da torcida com a volta à Série A depois de um logo período longe do grupo de elite.

Botafogo (♦ ♦ ♦) – Não investiu ainda em jogadores qualificados. Última aposta foi Diego Souza. Inicia campeonato cheio de incertezas e com um treinador inexperiente – Eduardo Barroca –, com trabalhos nas categorias de base do próprio clube carioca e Corinthians. Vai sofrer até o fim.

Vasco (♦ ♦) – Outro que inicia campeonato sem um treinador efetivo, depois demitir Alberto Valentim na decisão do Carioca. Não tem um bom grupo e vai se socorrer com garotos da base. É pouco.

Confira série de apresentação do Brasileirão 2019 em seis episódios:

Brasileirão 2019 / episódio (1): Campeonato terá novas regras de arbitragem e VAR nos 380 jogos

Brasileirão 2019 / episódio (2): Campeão pode receber até R$ 33 milhões de premiação, com ressalvas da Globo

Brasileirão 2019 / episódio (3): Clubes investem R$ 425 milhões em reforços e cresce legião estrangeira

Brasileirão 2019 / episódio (4): Conheça nova geração que pode fazer a diferença e incomodar Tite

Brasileirão 2019 / episódio (5): Favoritos ao título, candidatos ao rebaixamento, técnicos e futebol de resultados  

Brasileirão 2019 /episódio (6): Quem vai transmitir na TV e a briga Palmeiras x Globo

(post publicado no Chuteira FC)

 

Anúncios