Se a CBF estivesse navegando em águas calmas, uma hora dessa Tite não seria mais técnico da Seleção Brasileira.