Discussões inúteis a respeito da queda de Rogerio Ceni incendeiam o futebol nesta segunda-feira. Há os que defendem o ex-goleiro – ele não seria o culpado pelo estado de calamidade técnica que vive o time. Há ainda os que o condenam – seria arrogante por investir na carreia de treinador e assumir logo de cara um clube do tamanho do São Paulo apenas porque lá é um mito.

Anúncios

cueva-comemora-gol-do-sao-paulo-diante-do-corinthians-1478383746668_615x300

São Paulo pulverizou Corinthians no Morumbi. Sem susto, com autoridade, venceu por 4 a 0 diante de de quase 54 mil torcedores. Ao esmagar o carrasco das últimas temporadas, o Tricolor também se livra da zona de rebaixamento do Brasileirão e ganha tempo para analisar a enorme quantidade de erros que cometeu nesta temporada. Quanto ao derrotado, a certeza é que Oswaldo de Oliveira, mesmo recém-chegado, já sangra. E a necessidade de uma rearrumação é urgente no Alvinegro.

587630-970x600-1São Paulo e Corinthians se enfrentam neste sábado no Morumbi no pior momento dos dois times na temporada. O primeiro briga para não ser rebaixado à Série B. O segundo finca unhas na rocha em busca da salvadora vaga na Copa Libertadores. Desespero resume bem a situação desses gigantes no clássico de torcida única, que terá casa cheia de são-paulinos – até esta quinta-feira (03/11), 45 mil ingressos haviam sido vendidos.

622_1488659c-2c09-31c6-9606-31bcf5b097a8

Chávez não é Calleri e o time no Campeonato Brasileiro não é o mesmo da Copa Libertadores. Dois detalhes ilustram bem o São Paulo neste momento de turbulência em pleno voo sobre o oceano. Se Chávez fosse Calleri provavelmente não teria perdido os dois gols mais incríveis desta rodada do Brasileirão no empate por 0 a 0 contra o Coritiba. Como eles têm em comum apenas o fato de serem argentinos, quem paga a conta é parte boa da torcida do Tricolor. Até porque a parte podre só incendeia ainda mais a crise com invasões, agressões e roubos no quartel-general do clube.