Corinthians é um time sem segredo. Se defende com minúcias, cada setor tem marcação dobrada. Avança em triangulações nos dois lados do campo, simples. E ferroa no ataque como um escorpião, letal. Não é um modelo inusitado, nem difícil de ser esmiuçado. O problema é como demolir a fortaleza e não levar as picadas.

Palmeiras ainda não se libertou de seus demônios. Sofre e assopra, mesmo em vitórias importantes como os 3 a 1 em cima do Fluminense neste sábado (10/6). Resultado diminui a fervura e expõe algumas fraturas. Roger Guedes, por exemplo. Um dos melhores da partida, com entrega, assistência e gol no finalzinho, não escondeu a birra. Sinal de que o universo do time passa por tempestades uma atrás da outra.