Entrevista exclusiva: Felipão fala pela primeira vez da derrota na Copa de 2014. E mais: livro ‘Palmeiras Maior Campeão’

img-20161216-wa0004

Aos leitores desse Blog do Prósperi, apresento dois lançamentos. Primeiro, um novo blog coletivo, o CHUTEIRA FC, do qual sou um dos editores. Logo na estreia tem uma entrevista exclusiva que fiz com Felipão. Pela primeira vez o treinador conta a sua versão da derrota do Brasil na Copa de 2014. Vale a pena conferir. Segunda novidade é meu livro, em versão e-book, com a saga do Palmeiras na campanha do título do Brasileirão 2016 à venda na internet.

Aproveito para convidar o leitor a continuar me acompanhando neste Blog do Prósperi e agora também no CHUTEIRA FC. Muito obrigado.

Veja um trecho da entrevista com Felipão:

Felipão nunca deu sua versão para os 7 a 1 da Alemanha na Copa de 2014. Deixou a Seleção no domingo da final do Mundial, por volta da meia-noite de 13 de julho, demitido por José Maria Marin, presidente da CBF na época. Antes de comunicar ao treinador, Marin vazou a informação à TV Globo. Felipão só foi notificado da saída na segunda-feira, dia 14. Dois anos e cinco meses após a queda, o treinador conta com exclusividade ao CHUTEIRA FC o que aconteceu com a Seleção naquela derrota para os alemães. Felipão estava em Porto Alegre quando concedeu essa entrevista por telefone. Acompanhe:

Felipão, você se sente o único culpado pela derrota de 7 a 1 para a Alemanha?

É a primeira vez que falo daquela derrota à imprensa do Brasil. O mínimo que eu posso dizer aos que querem me culpar é que, se sou o culpado pela derrota de 2014, então sou o único responsável pela vitória de 2002. Eu pergunto: quem é o último campeão do mundo com o Brasil? Sou eu. Então, se perdi sozinho a Copa de 2014, ganhei sozinho a Copa de 2002.

O que de fato aconteceu naquele jogo contra os alemães?

O resultado absurdo contra a Alemanha não refletia nossa situação. Vínhamos jogando muito bem e, às vezes, de forma razoável. Objetivo era passar de etapa a etapa. Estávamos cumprindo bem o objetivo. Naquele jogo houve uma falha coletiva geral. Posso garantir que só vai acontecer outro resultado igual daqui a uns 2 mil anos.

Apenas falha coletiva? Não houve um erro de avaliação da comissão técnica a respeito da Alemanha e também de planejamento para a Copa?

Naquele jogo deu tudo certo para a equipe deles, foram muito felizes. Não tivemos tempo para uma reação. Tomar dois, três gols, em menos de 10 minutos, não é fácil. Fica difícil no vestiário você recuperar o estado anímico dos jogadores, do ambiente, quando se está perdendo de cinco. Mesmo assim criamos algumas situações de gol (no começo do segundo tempo) que poderiam dar outro efeito ao jogo.

Leia entrevista completa no http://www.chuteirafc.com.br

Outro lançamento é o e-book “PALMEIRAS MAIOR CAMPEÃO”, com toda a campanha do título do Brasileirão, perfis de Gabriel Jesus, Tchê Tchê, Moisés, Jaílson, Moisés, Dudu, Cuca, presidente Paulo Nobre e a histórias das nove taças do clube.

veja o link do livro

jesusebook

Anúncios