Gabriel Jesus coloca Brasileirão e Palmeiras aos seus pés

Garoto faz dois gols na vitória contra Figueirense, assume artilharia do campeonato com nove e sustenta liderança do time em doze rodadas

rib_7772

Gabriel Jesus colocou o Campeonato Brasileiro debaixo do braço e a cada jogo pede passagem. Em 12 rodadas, assumiu a artilharia com nove gols – a maioria deles com feitio de craque – ao marcar dois na vitória por 4 a 0 do Palmeiras contra o Figueirense, nesta quinta-feira (30/6) no Allianz Parque. Neste momento, Jesus, parece não ter limites.

Bom para o Palmeiras, líder com 25 pontos, que destroça adversários em casa e patina fora fora de seus domínios. Se ajustar esse defeito, vai ser difícil chegar em dezembro sem a taça de campeão. Tudo isso, é claro, se os gigantes europeus não levarem Gabriel Jesus embora depois da Olimpíada do Rio.

ANÁLISE DO JOGO

Palmeiras continua avassalador no Allianz Parque, sempre no limite de não deixar o adversário respirar. De preferência com num gol antes dos 10 minutos. Diante do Figueirense não foi diferente.

Partiu em busca do gol e chegou em cabeçada de Moisés no cruzamento de Roger Guedes, aos 7 minutos. Gol para avisar ao visitante quem manda na casa. Gol também para se impor, intimidar e fazer valer o futebol de líder do Brasileirão.

Cumpriu bem o que havia sido combinado nos vestiários, apesar de alguns vacilos na marcação no setor direito, onde o garoto João Pedro cometeu erros costumeiros. Faltou também mais atenção nas investidas do time catarinense quando avança pelos meios aproveitando a desatenção de Cleiton Xavier e Tchê Tchê.

622_8a047a65-6545-3e54-8a9b-69bea0b75ca0

Sem ação efetiva dos dois meias na marcação, Moisés se multiplicou. Protegeu a zaga, saiu em socorro dos laterais, auxiliou Xavier e Tchê Tchê e ainda arriscou chute de longa distância. Moisés não é refinado, às vezes raciocina com os músculos, mas, quando o time  precisa do seu futebol, assume todas as responsabilidades e se impõe.

Moisés foi o dono do primeiro tempo e colaborou para o Palmeiras fechar os 45 minutos iniciais com a vantagem de dois gols – o segundo foi marcado por Dudu, aos 43, em jogada de Guedes, que Tchê Tchê clareou até o chute final do atacante.

No segundo tempo, Moisés pediu água. Deixou o jogo aos 7 minutos sentindo uma lesão no pé esquerdo. Matheus Sales entrou no seu lugar. O Palmeiras voltou com um ritmo menos frenético. Hora de ser mais inteligente se desgatar menos.

JESUS RESOLVE

Nessa toada, construiu o terceiro gol. Dudu serviu Zé Roberto, 42 anos, que cruzou para Gabriel Jesus, 19 anos, marcar de cabeça, aos 1o. Jesus assumia a artilharia do Brasileirão ao lado de Grafite, com 8 gols.

“Antes do jogo falei pro Zé (Zé Roberto): ‘chega no fundo que eu vou fazer de cabeça para retribuir aquele cruzamento que você mandou pra mim contra o Corinthians e eu não fiz’. O Zé falou: ‘então vai lá que a bola vai chegar’. Ele cruzou, e eu fiz”, disse Jesus, simples, como se não jogasse uma enormidade.

rib_7752

Vantagem folgada no placar deu ao Palmeiras a tranquilidade para jogar sem pressa e a Cuca fazer algumas experiências. Então, aos 20, Barrios entrou no lugar de Xavier. Dudu virou armador e Jesus assumiu a ponta-esquerda. E, aos 30, o menino Vitinho, de 18 anos, substituiu Dudu.

Naquela altura da partida, o time de Cuca tinha quatro garotos da base – Jesus, João Pedro, Matheus Sales e Vitinho – e dois jovens que chegaram nesta temporada – Roger Guedes e Tchê Tchê. E o Figueirense nocauteado.

Nos últimos dez minutos, o Palmeiras tocou a bola para satisfazer o prazer da torcida. Não havia mais necessidade de aumentar a contagem. A vitória estava mais do que consolidada.

Um detalhe importante, Jesus queria mais. Aos 45, em boa jogada de Guedes, ele fez o seu segundo no jogo e nono no campeonato. Agora sim, artilheiro isolado do Brasileirão.

Sua ascensão tem sido tão extraordinária que representantes de grandes clubes europeus estão alucinados. Depois de o Barcelona fazer uma proposta e o Real Madrid reagir, a vez agora é de agentes da Inter de Milão e Juventus assediarem o garoto e o Palmeiras. Seus representantes têm visita programada neste fim de semana.

Jesus já adiantou que seu desejo é o Barcelona. Se continuar nesse ritmo alucinante logo logo vai estar ao lado de Neymar, Suárez e Messi. E o Palmeiras que se vire para não perder o garoto e o passo certo rumo ao título.

FICHA DO JOGO

Palmeiras 4 x 0 Figueirense

Gols: Moisés, aos 7; e Dudu, aos 43 minutos do primeiro tempo; Gabriel Jesus, aos 10e 45 minutos do segundo tempo.

Palmeiras: Fernando Prass, João Pedro, Edu Dracena, Vitor Hugo e Zé Roberto; Tchê Tchê, Moisés (Matheus Sales) e Cleiton Xavier (Barrios); Roger Guedes, Gabriel Jesus e Dudu (Vitinho). Técnico: Cuca

Figueirense: Gatito Fernandez, Ayrton, Marquinhos, Bruno Alves e Marquinhos Pedroso; Jorge Caucaia, Ferrugem (Jocinei), Bady e Ermel (Yago);  Rafael Moura e Dudu (Everton Santos).Técnico: Vinicius Ectrópio

Juiz: Gilberto Castro Júnior
Cartões amarelos: Rafael Moura e Roger Guedes
Renda: R$ 1.935.544,72
Público: 32.834 pagantes
Local: Allianz Parque

Anúncios