Palmeiras mostra autoridade de líder do Campeonato Brasileiro

622_8198cc31-1563-35c6-9818-a4d17376cc42.jpg

Palmeiras precisava de uma boa vitória, daquelas com autoridade, fora de casa para alertar aos concorrentes quem, de fato, manda no Brasileirão neste início de segundo turno. Os três pontos conquistados diante do Atlético-PR, até então invicto na sua fortaleza, têm esse peso. O time de Cuca venceu por 1 a 0, sustentou a liderança do campeonato e incomodou a concorrência.

O resultado em si, econômico, é o de menos. A forma como se impôs é que deve ser ressaltada. Em nenhum momento entrou em pânico. Não recorreu ao jogo faltoso e, no momento de atacar, calculou cada passe e cada trama. Cumpriu bem o ritual de quem pensa mesmo em ser campeão.

ANÁLISE DO JOGO 

Palmeiras não correu riscos no primeiro tempo. Prendeu os laterais Jean e Egidio e segurou o volante Thiago Santos na proteção da zaga. Estratégia acertada diante de um adversário, que usa muito a bola esticada e rápida no gramado sintético da Arena da Baixada.

622_ffb26f91-0123-3296-a525-a2bff155c714

Bem estruturado no setor defensivo, o time paulista apostou na velocidade do ataque com Roger Guedes, Dudu e Erik e a chegada de Moisés. Os três deram dor de cabeça aos marcadores atleticanos, apontados como lentos na hora de dar o bote nos atacantes.

Da saída rápida em busca do gol, o Palmeiras obrigou a zaga do adversário a fazer um escanteio atrás do outro. De um deles, no fim da primeira parte do jogo, Dudu bateu e Vitor Hugo carimbou a rede do goleiro Santos.

Vantagem considerável de um visitante indigesto e um duro golpe a um mandante com melhor aproveitamento neste Brasileirão.

No segundo tempo, o Atlético voltou diferente ao trocar o meia Luciano Cabral pelo atacante de área André Lima. Sinal de que apostaria no bombardeio aéreo. A mudança funcionou em parte. De bolas alçadas na área, partindo de escanteios e cruzamentos da intermediária, o time teve chance de empatar o jogo, mas parou em Jailson, autor de duas defesas espetaculares.

Ao trocar um meia por um atacante, Paulo Autuori puxou Walter para armar o time. Assim, perdeu poder de marcação e facilitou a vida de Moisés e depois Cleiton Xavier. O Palmeiras ganhava campo para pensar no jogo e trabalhar a bola. Por isso, chegou pelo menos três vezes em condições de ampliar a vantagem. Duas delas desperdiçadas por Roger Guedes.

ae34225f105e3080ab4e51758e8ae99e

Chamou atenção a ousadia de Cuca. Mesmo pressionado nos últimos 15 minutos, não fez uma substituição pensando mais em se defender do que atacar. Queria sustentar a posse de bola e dar não alma ao adversário, até então invicto em casa. Conseguiu.

Palmeiras volta do Paraná na liderança do Brasileirão com três pontos acima do vice Santos e com auto-estima lá em cima.

FICHA DO JOGO

Atlético-PR 0 x 1 Palmeiras

Gol: Vitor Hugo, aos 44 minutos do primeiro tempo;

Atlético-PR: Santos, Leo (Rosseto), Paulo André, Thiago Heleno e Sidiclei; Octávio, Hernani, e Luciano Cabral (André Lima); Yago (Marcos Guilherme), Walter e Lucas Fernandes . Técnico: Paulo Autuori

Palmeiras: Jaílson, Jean, Thiago Martins, Vitor Hugo e Egidio; Thiago Santos, Tchê Tchê e Moisés; Roger Guedes (Cleiton Xavier), Erik (Fabricio) e Dudu (Rafael Marques). Técnico: Cuca

Juiz: Jean Pierre Lima
Cartões amarelos: Leo, Hernani, Thiago Santos, Erik, Octavio, Cleiton Xavier
Local: Arena da Baixada

Anúncios