Corinthians em pânico, culpa de Fabio Carille

Carille sem problemas no Corinthians Treinador mais seguro na Série A é Fabio Carille, do Corinthians

Corinthians entrou no labirinto do Brasileirão 2017. Não há a mínima paciência ou coerência de que possa encontrar a saída. Está perdido entre os muitos caminhos, a oito rodadas do fim do campeonato. Pode morrer de sede.

Nem adianta remoer teses de que os adversários entenderam como o líder joga. Muito menos garantir que ninguém tem nada a perder, daí subir degraus da escada mesmo sem ar nos pulmões, enquanto o Corinthians dorme em nuvens acolchoadas.

A situação crítica do líder é por obra e culpa dele mesmo. Perdeu pontos valiosos em casa contra adversários inexpressivos. Deixou de assombrar os concorrentes quando aceitou, por exemplo, o empate na sua arena em Itaquera diante do então vice Grêmio. E viu o paiol de munição vazio na hora mais intensa da batalha.

Muito dessa situação, de enormes prejuízos no segundo turno, tem de ser depositada na conta de Fabio Carille.

Treinador aprendiz que é, não soube aumentar o patrimônio do time no campeonato. Preferiu continuar saciado com os juros baixos da poupança de pontos na tabela, a apostar em fundos de investimentos mais rentáveis em busca do título antecipado.

Se acomodou no esquema tático vitorioso do primeiro turno, sem se ater aos danos que poderia sofrer quando adversários de alta patente voltassem a respirar sem ajuda de aparelhos.

Botafogo vence Corinthians
Carli e Jô, parada indigesta na vitória do Botafogo contra líder Corinthians

Carille está nas cordas. Precisa urgente vencer jogos duros e decisivos. O primeiro é contra a Ponte Preta em Campinas e o segundo contra o Palmeiras no Itaquerão, jogo que, talvez, seja final antecipada do Brasileirão.

Nessa altura do campeonato, não cabe mais ao treinador do Corinthians se desesperar diante da falta de opções no banco de reservas. Nem jogar isso como desculpa.

Carille deveria ter procurado outros meios de vencer os jogos quando seu time, líder inconteste, não via ninguém a sua frente e muito menos no retrovisor.

Se iludiu na fama precoce de grande técnico, a novidade. Pode pagar caro na próxima esquina de chapéu nas mãos inebriado por um sucesso prematuro.

Agora, se o Corinthians confirmar o título do Brasileirão 2017, Carille terá tempo de sobra para não se deixar levar por condecorações antecipadas antes mesmo de a batalha acabar.

Futebol não é apenas uma guerra em que soldados rasos podem vencer.

(leia mais notícias e opinião de futebol no CHUTEIRA FC)

Anúncios