Futebol brasileiro agoniza neste início de 2018

Pacaembu sofre terceiro apagão em 2018. Dessa vez, foram 49 minutos no clássico Santos 1 x 1 Corinthians - foto: reprodução TV

Danilo da Silva dos Santos, 31 anos, identificado como torcedor do Corinthians, foi levado em estado grave para o Hospital Santa Marcelina, em São Paulo, na tarde deste domingo (04/3). Não resistiu aos ferimentos e morreu. Casado, deixa duas filhas.

Danilo foi espancado por integrantes da Torcida Jovem do Santos, segundo informa a Polícia Civil, na região de Itaquaquecetuba. Do grupo acusado de agressão, 12 foram detidos – um deles adolescente.

A pancadaria que levou à morte de Danilo aconteceu a 45 quilômetros do Pacaembu, onde Santos e Corinthians jogaram clássico que terminou empatado por 1 a 1.

É a terceira morte de um torcedor desde que foi implanta a torcida única nos clássicos paulistas, em abril de 2016, por ordem do Ministério Público e Secretaria de Segurança Pública do Estado, com concordância dos clubes.

Em Belo Horizonte, neste mesmo domingo de morte em São Paulo, 17 torcedores foram detidos depois de se envolverem em brigas após o clássico entre Cruzeiro 1 x 0 Atlético no Horto, região Leste da capital mineira. A batalha aconteceu no bairro Prado, região Oeste de BH.

De acordo com relatos de policiais e imagens divulgadas no YouTube, torcedores do Atlético espancaram um cruzeirense, de 30 anos. Socorrido ao Hospital de Pronto Socorro João XXIII, estava internado consciente em estado grave até o início da noite desta segunda-feira (05/3).

Veja as imagens da selvageria:

Apagão no Pacaembu

Se fora dos estádios a selvageria e violência impera, um retrato fiel desses dias de obscurantismo no Brasil, dentro de campo a decadência é latente.

Veja o que aconteceu no Pacaembu no clássico Santos 1 x 1 Corinthians. Um apagão no segundo tempo levou à paralisação do jogo por 49 minutos. João Doria, prefeito de São Paulo e torcedor do Santos, estava no estádio. Assim que os holofotes se apagaram, Doria saiu de fininho do Pacaembu.

Nesta segunda-feira (05/3), o prefeito demitiu o administrador do Pacaembu, José Eduardo Gomes, e exigiu providências da Eletropaulo, companhia  de energia do Estado, para analisar o problema dos apagões. É o terceiro apagão do Pacaembu entre janeiro e fevereiro de 2018.

Doria já havia encaminhado a privatização do Pacaembu, entre outros bens públicos de São Paulo.

Ao final do jogo, Romero, atacante do Corinthians, disse que o Santos era time pequeno ao comemorar o empate no clássico. David Braz, zagueiro do Santos, disse que seu time nunca foi rebaixado à Segunda Divisão.

Bronca contra Juiz

Em Belo Horizonte, o vice-presidente do Atlético-MG, Lásaro Cunha, disse que seu clube não quer mais o trio de arbitragem do clássico contra o Cruzeiro – vitória do Cruzeiro por 1 a 0 neste domingo (04/3) – em jogos do Galo. E não poupou até mesmo o técnico do rival, Mano Menezes:

“O Atlético vai pedir o afastamento dos integrantes da arbitragem do clássico, especialmente do árbitro Cleisson Veloso Pereira. Ele foi omisso e cometeu erros que denunciam a sua incapacidade técnica e a falta de preparo para apitar, seja para coibir a violência, no fato específico da agressão ao Ricardo Oliveira, seja pelas perturbações e outros atos praticados pelo técnico do Cruzeiro”

“Os jogadores do rival impediram até que a gente batesse escanteio. O trio foi omisso, além de cometer  vários erros básicos. Vamos enviar todas as imagens. Isso é de praxe. Estamos pedindo também instauração de procedimentos disciplinares contra o zagueiro Léo e contra o técnico Mano Menezes”.

Sem arbitragem

Na capital cearense, mais polêmica. Sindicato dos Árbitros do Ceará disse nesta segunda-feira (05/3) que seus filiados não mais apitarão jogos do Fortaleza, time comandado pelo técnico Rogerio Ceni. A decisão foi tomada depois de duras críticas do presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, após empate por 1 a 1 no clássico contra o Ceará, neste domingo, no Castelão.

Fortaleza defende a escalação de árbitros fora do quadro da Federação Cearense de Futebol nos clássicos estaduais, um argumento usado pelo clube contra supostos benefícios da arbitragem local a favor do rival Ceará.

No Rio, no clássico Botafogo 0 x 1 Flamengo, neste domingo, pela Taça Rio, o garoto Vinicius Junior foi expulso por jogada violenta no segundo tempo. Vinicius tem 17 anos e foi vendido ao Real Madrid na temporada passada por 40 milhões de euros.

Completamos neste fim de semana 40 dias da temporada 2018 do futebol brasileiro. Já temos uma morte contabilizada por brigas de torcedores, apagão no estádio símbolo de São Paulo e suspeitas graves de favorecimento de arbitragem a alguns clubes.

Em seis jogos envolvendo clubes brasileiros na primeira rodada da Copa Libertadores, apenas o Palmeiras venceu. Campanha dos times do Brasil registra uma vitória, três empates e duas derrotas – 8 gols marcados, 9 sofridos.

E o presidente da CBF, Marco Polo Delo Nero, ainda cumpre afastamento por 90 dias ao ser banido por corrupção em dezembro de 2017 de todas atividades no futebol por ordem da Fifa. Bola em jogo.

(publicado no Chuteira FC – leia mais notícias e opinião de futebol)

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: