De Rodriguinho a Diego Souza, futebol no céu e inferno

Diego Souza custou R$ 6 milhões ao São Paulo. Mercado do futebol avaliou como cara a contração do jogador que estava no Sport. Rodriguinho foi e voltou ao Corinthians. Nada fabuloso. Os dois assinaram seus nomes da decisão de uma vaga na final do Campeonato Paulista. Diego, vilão. Rodriguinho, herói.

Vamos começar essa história pelo lado do derrotado. Que m… fez Diego Souza ao arrancar (?) no contra-ataque aos 47 minutos – a dois do encerramento do jogo –, sair da área corintiana, fazer a falta e ainda dar um tapa na bola para facilitar a vida do Corinthians?

Da cobrança da falta cometida por Diego Souza nasceu a jogada que acabou no escanteio e resultou no gol de Rodriguinho. Gol que levou a decisão aos pênaltis.

Nas cobranças, Diego Souza perde sua batida. Rodriguinho também desperdiça. Sorte do Corinthians que fechou a conta vencedor na decisão. Vai medir forças com Palmeiras na final.

Rodriguinho conheceu o céu e o inferno ao mesmo tempo. Diego Souza nem teve como subir nas nuvens, esfarelou pulverizado pelo seu próprio futebol decadente.

Anúncios