Palmeiras avança no Paulistão e volta a desafiar o Santos na Vila

 

pro7
Alecsandro comemora seu gol como seu pai, o Lela, fazia nos anos de 1980

O Palmeiras tem um novo encontro marcado com o Santos, adversário derrotado na decisão da Copa do Brasil de 2015. Desta vez vale vaga à final do Paulistão. É jogo de sair faísca, tamanha rivalidade acentuada nos últimos clássicos.

Para encarar o Santos, o time de Cuca teve de vencer o São Bernardo por 2 a 0 nesta segunda-feira, isso mesmo, segunda-feira, 18/4, no Allianz Parque, diante de um público excelente de 30.731 pagantes. A vitória não veio com uma atuação exuberante do Palmeiras, mas de muita eficiência da equipe. É um caminho.

Cuca começou o jogo com Arouca no lugar de Gabriel – não deu muitas explicações para a troca. A mudança trouxe mais prejuízos do que lucros ao time. Arouca, ainda sem ritmo e ruim nos passes, comprometeu a saída rápida na transição da defesa ao ataque.

Robinho também não estava sintonizado com os atacantes. Insistia com lançamentos curtos, no estilo cavadinha, a Gabriel Jesus e Alecsandro. A maioria delas equivocada. Na hora de recompor o meio-campo, era lento como uma carreta na ladeira acima.

Alione, o outro meia da companhia, não conseguia conduzir a bola. No mano a mano perdia todas e colecionou um punhado de passes errados. Com os dois  meias inibidos, Alecsandro e Gabriel Jesus quase não eram acionados.

Outro problema do time era a marcação muito recuada permitindo aos meias do São Bernardo vida fácil para chegar à zona de gol. Em duas infiltrações, o time do ABC só não carimbou a rede porque Fernando Prass, sempre ele, evitou o pior.

A única boa alternativa do Palmeiras era chegar ao campo inimigo com os laterais. Egídio, de confiança renovada, era mais presente do que Jean. Em uma das investidas de Egídio saiu a falta que ele mesmo cobrou para Alecsandro marcar o único gol do primeiro tempo.

pro
Torcida Mancha Alvi Verde  com os sinalizadores proibidos nos estádios

Este ato solitário de Alecsandro resume um pouco do primeiro tempo, também marcado pela imbecilidade da torcida Mancha Alvi Verde. Revoltada com as ações da Polícia Civil na última semana, a facção pôs fogo em sinalizadores por volta dos 13 minutos. Como essa “brincadeira” infeliz está proibida nos estádios, o árbitro foi obrigado a paralisar a partida por pelo menos quatro minutos.

E o Palmeiras corre risco de ser punido pela Federação Paulista de Futebol por este ato da torcida organizada.

No segundo tempo, o time de Cuca passou por algumas mudanças. Dudu entrou no lugar de Robinho, na tentativa de dar mais velocidade na saída ao ataque. Depois, Gabriel entrou na vaga de Arouca, reforço na marcação e mais qualidade na transição do jogo. As trocas pouco mexeram com o Palmeiras.

pro5
Cuca tem a semana livre para treinar o time até o jogo contra o Santos

Do outro lado, o São Bernardo arriscou mais com três atacantes. A partir dos 30 minutos, franqueou seu território ao contra-ataque. Então, Cuca mandou o garoto Róger Guedes, garoto contratado ao Criciúma, ao campo no lugar de Alecsandro. Armando assim o tridente com Róger Guedes na direita, Dudu no meio e Gabriel Jesus na esquerda. Três jogadores de muita velocidade e inteligência.

Na primeira boa trama entre os três, saiu o segundo gol. De Dudu para Guedes e dali o passe cruzado, rasteiro, para Jesus cutucar ao gol. A fatura estava liquidada e Cuca já pensava no Santos, adversário das semifinais do Campeonato Paulista.

No outro jogo da semifinal do campeonato o Corinthians recebe o Osasco Audax

 

Anúncios