Até mais, Pep

csm_104049-Jubel_Guardiola_Bayern_Getty_4a0bbd6846

A temporada do futebol alemão se encerrou neste sábado com a consagração do Bayern de Munique e a despedida de Pep Guardiola. O time conquistou a Copa Alemanha na decisão nos pênaltis contra o Borussia e o treinador espanhol disse adeus após um reinado de três anos de muitos títulos e um legado de que se pode ser campeão jogando bonito.

O jogo de tantos símbolos não foi extraordinário. No primeiro tempo da decisão da Copa da Alemanha, Bayern e Borussia não criaram grandes chances de gol. O equilíbrio prevaleceu. O time de Guardiola procurou mais o ataque e seu adversário, bem arquitetado no sistema defensivo, arriscou em dois a três contra-ataques infrutíferos.

O enredo não sofreu grandes alterações no segundo tempo. Algumas chances foram criadas pelo Bayern. O Borussia respondeu também no seu tom. Apesar da boa movimentação, de jogo rápido de um lado e de outro, o gol não saiu.

A história se repetiu na prorrogação que também acabou sem gols. Na decisão nos pênaltis, o time de Guardiola foi mais feliz e venceu por 4 a 3, um presente ao treinador espanhol. Pep se despede do futebol alemão neste sábado com mais uma taça. E muda de casa na próxima temporada para assumir o Manchester City.

csm_104046-Juebl_bayern_c5395ea3cf

Pep Guardiola teve três anos para dar uma nova cara ao sempre sisudo e eficiente Bayern de Munique. Herdou o time das mãos do treinador alemão Jupp Heynckes com a tríplice coroa – campeão da Champions League, Bundesliga e Copa da Alemanha – na temporada 2012/2013. Um fardo pesado.

Nas três temporadas que passou na Alemanha, Guardiola foi campeão de tudo. Derrapou apenas na Champions com três quedas consecutivas nas semifinais para times da Espanha – Real Madrid, Barcelona e Atlético de Madrid. Essa a sua maior frustração.

Em contrapartida, fez o Bayern jogar de uma forma, digamos, mais humana. Aquele jogo crispado, de entrega sem limites, havia ficado para trás. O maior time da Alemanha agora trocava passes, colocava a bola no chão, incorporava variantes táticas em uma mesma partida. Passou a ser um time mais ofensivo, atrevido e gostoso de se ver jogar.

Não vai deixar o futebol alemão como uma unanimidade. Apesar dos tropeços na Champions, cativou a exigente torcida do Bayern e torceu o nariz para dirigentes como Rummenige e Mathias Sammer, ícones na Alemanha. Por isso comprou brigas desnecessárias. Não fez tudo o que gostaria de ter feito, mas deixou sua marca.

Quem acompanha o futebol, sabe que o Bayern de Munique nunca mais vai ser o mesmo após a passagem de Pep Guardiola.

Acompanhe alguns números das três temporadas do treinador espanhol no clube alemão:

161 JOGOS

images-4

121 VITÓRIAS

Unknown-1

21 EMPATES E 19 DERROTAS

2360218_w2

6 TÍTULOS EM 3 ANOS

images-5

396 GOLS MARCADOS

Unknown-1

Diante desses números, não é difícil imaginar que os torcedores do Manchester City, um dos novos ricos do futebol europeu, estão esfregando as mãos. Vão receber um dos gênios do futebol para administrar um orçamento de cerca de 1 bilhão de euros. A expectativa é de reconstrução de um time que pretende conquistar a Europa. Pep Guardiola vem aí.

Anúncios