Palmeiras mostra força do banco e retoma caminho da vitória

palmeiras-2x0-fluminense-brasileiro-2016

Cuca pensou no Palmeiras com três atacantes rápidos contra o Fluminense. Imaginou que o adversário, por ter camisa de peso, sairia mais em busca do ataque. A leitura do treinador se mostrou equivocada. Levir Culpi armou o time carioca na retranca e complicou o trio ofensivo palmeirense.

Quando Cuca voltou atrás, lançando Alecsandro como referência entre os zagueiros Gun e Henrique e recuou Dudu para armar ao lado de Moisés, o Palmeiras se reinventou no segundo tempo, fez dois gols em menos de 11 minutos, construindo a sua segunda vitória no Allianz Parque e no Brasileirão em três rodadas.

E mostrou que o time tem repertório e peças para reivindicar algo de precioso neste campeonato nacional.

No primeiro tempo, o Palmeiras não encontrou o caminho contra a severa marcação do Fluminense – escalado com três volantes. Cleiton Xavier e Tchê Tchê, encarregados de levar a bola ao ataque, não sabiam o que fazer diante do paredão carioca. E os laterais Jean e Egidio também não saíram com medo de levar bola nas costas.

Nesse enredo, o time de Cuca travou, não teve meios de explorar a velocidade de seu trio de frente, com Roger Guedes, Gabriel Jesus e Dudu. Não fosse por iniciativa própria de Guedes e o Palmeiras não teria feito nada de interessante na primeira parte do jogo.

A experiência com Gabriel Jesus flutuando entre Gun e Henrique também não funcionou. O garoto foi presa fácil, pouco pegou na bola.

Do lado do Fluminense, tudo certo. O time pouco arriscou e se deu bem apenas em bolas levantadas na área de Fernando Prass. Teve a grande chance de um gol com Fred, mas o goleiro do Palmeiras evitou com defesa extraordinária.

No segundo tempo, o time de Cuca se transformou com duas alterações por atacado. Moisés e Alecsandro entraram nos lugares de Cleiton Xavier e Egidio. Tchê Tchê saiu do meio e foi jogar de lateral-esquerdo e Moisés na função de Xavier. Alecsandro ficou entre Gun e Henrique. Jesus ocupou a ponta-esquerda e Dudu recuou para ajudar na criação.

Essas mudanças embaralharam o Fluminense. Sem entender o que estava acontecendo, o time carioca levou dois gols em 11 minutos. Um de Vitor Hugo, de cabeça, em falta batida por Dudu, e outro com Alecsandro, após boa trama entre Jean e Roger Guedes. Palmeiras avassalador.

Unknown-3Atordoado, Levir Culpi lançou dois atacantes (Richarlisson e Marcos Júnior) na tentativa de acuar um pouco o adversário. Precisava de uma resposta rápida. Teve uma boa chance com Scarpa, mas o garoto chutou para fora.

O time de Cuca se fechou para não correr riscos. Zé Roberto ainda entrou no lugar de Gabriel Jesus e o versátil Tchê Tchê foi atuar na ponta-esquerda. O Flu não incomodou.

A vitória estava garantida e veio com a força do banco. Na terceira rodada, após derrota fora de casa contra a Ponte Preta, o Palmeiras mostrou força. Pode ir longe neste Brasileirão.

Anúncios