Ronaldo 40, homenagem a um encantador de serpentes

ronaldo-nazario-brazil-turkey-2002-world-cup-group-stage-03062002_jmcbm3l6k65h1gzocfphfux8i-1

Ronaldo Fenômeno completa 40 anos nesta quinta-feira (22/9) de 2016. Abandonou o futebol no dia 2 de fevereiro de 2011 nos acanhados vestiários do estádio Manuel Murillo Toro, em Ibagué, na Colômbia, após o Corinthians sofrer a derrota por 2 a 0 para o Tolima na Pré-Libertadores. Era o ponto final de uma das mais extraordinárias carreiras de jogador. Um mito.

Tive o privilégio de acompanhar de perto os passos de Ronaldo, em especial na Seleção Brasileira. Cobri, como repórter do Jornal da Tarde e Estadão, as Copas do Mundo em que ele foi protagonista. Vi nos estádios os 15 gols que o Fenômeno marcou nos três Mundiais. Os 4 gols na Copa da França (1998), os 8 na Coreia do Sul e Japão (2002), e os 3 na Alemanha (2006).

Os 15 gols em Mundiais eram um recorde. Ronaldo havia superado Pelé, autor de 12 gols, como o maior artilheiro da história das Copas. Mas quis o famoso destino dar a Klose, um atacante alemão grandalhão e finalizador por excelência, a quebra dessa marca impressionante na Copa do Mundo no Brasil em 2014, quando superou Ronaldo e chegou aos 16 gols.

Veja os 15 gols de Ronaldo nas Copas:

Bola por bola, Ronaldo jogava muito mais que Klose. Teria vida longa no futebol não fosse o bisturi rasgar seus dois joelhos em cirurgias de enxerto de tendões no começo da sua carreira e depois na idade do esplendor de jogador de futebol.

Nunca vi um artilheiro como Ronaldo. E não vai ser fácil aparecer outro como ele.

 

 

Anúncios