CBF: Rogerio Caboclo assume presidência e prepara mudanças radicais no futebol brasileiro

Caboclo assume presidência da CBF e não quer imagem ligada a Ricardo Teixeira, Marin e Del Nero - foto: CBF

CBF terá um novo comando a partir desta terça-feira (09/4) com a posse de Rogerio Langanke Caboclo, 46 anos, na presidência da entidade para um mandato de 2019 a 2023. Eleito em abril de 2018, beneficiado por mudanças no estatuto da CBF conferindo às federações estaduais mais peso nos votos que os clubes, Caboclo vai anunciar na cerimônia uma série de medidas radicais na gestão do futebol brasileiro.

Antes de entrar nas mudanças a serem adotadas pela nova administração, Caboclo trabalha para não ter sua imagem associada a seus antecessores – todos eles denunciados em escândalos de corrupção na Justiça dos Estados Unidos, Espanha e Suíça.

Ricardo Teixeira, presidente da entidade entre 1989 e 2012, José Maria Marin, de 2012 a 2015, e Marco Polo Del Nero, de 2015 a 2017, estão encrencados com a Justiça. Marin está preso nos EUA, acusado de receber propinas no caso Fifagate. Del Nero foi banido do futebol pela Fifa em 2018. E Teixeira é investigado em processos nos EUA, Espanha e Suíça.

Caboclo quer distância desses cartolas, pelo menos nos discursos e bastidores, apesar de ter em Del Nero seu padrinho no futebol. Foi Del Nero quem levou Caboclo para ser diretor financeiro da CBF em 2013, após serviços prestados pelo novato dirigente na Federação Paulista de Futebol.

Ao ser eleito por quase unanimidade em abril de 2018 no colégio eleitoral da CBF, composto por 27 federações estaduais e 40 clubes (20 da Série A + 20 da Série B do Brasileirão) – não teve votos apenas de Flamengo, Corinthians e Athletico-PR –, Rogerio Caboclo vai reformar o calendário nacional, comissão de arbitragem, seleções principal e da base, direitos internacionais de marketing, realinhamento com a TV Globo e a criação de uma comissão de notáveis com peso para colaborar com a governança da entidade.

Confira as principais mudanças na CBF na gestão Rogerio Caboclo:

Calendário
Redução dos campeonatos estaduais – com pelo menos duas datas a menos, de 18 para 16 a partir de 2020.

Rodadas do Brasileirão e Copa do Brasil interrompidas em datas Fifa nos amistosos da Seleção Brasileira.

Criação da Supercopa – jogo de abertura da temporada entre os campeões do Brasileirão e da Copa do Brasil do ano anterior.

Proposta de adequar calendário nacional ao do futebol europeu a partir de 2020, adotando temporadas de agosto a junho e não mais de janeiro a dezembro.

Comissão de Arbitragem
Troca no comando com a saída do Coronel Marcos Marinho para dar lugar ao ex-árbitro e comentarista da TV Globo Leonardo Gaciba.

Obrigatoriedade do uso do VAR (árbitro de vídeo) em todos jogos do Brasileirão já a partir de 2019 e quartas de final da Copa do Brasil.

Comissão de Notáveis
Criação de um colegiado de ex-jogadores e atores influentes do futebol brasileiro desvinculados de clubes e federações, seguindo modelo já adotado pela Fifa. Nomes convidados: Kaká, Cafu, Ronaldo Fenômeno, Mauro Silva, Carlos Alberto Parreira, entre outros.

A comissão funcionaria como um Conselho com obrigações e poderes para colaborar e atuar na administração do futebol brasileiro.

Seleção Brasileira

Principal – Técnico Tite e o gerente Edu Gaspar deixam de ser unanimidade apesar da renovação de seus contratos até Copa do Mundo de 2022 no Catar. Prova final a Tite, Gaspar e comissão técnica passa pela conquista da Copa América, de 14 de junho a 7 de julho no Brasil.

Base – André Jardine, 39 anos, ex-técnico do São Paulo, já foi empossado novo treinador da Seleção Sub-20.

“Vamos segmentar as Seleções por ano de nascimento dos atletas para dar rodagem aos jogadores de cada idade com a camisa da Seleção. Jardine fará parte de um trabalho inédito na base da Seleção, que resulta na convocação de atletas Sub-16, Sub-18 e Sub-19, além das categorias oficiais, Sub-15, Sub-17 e Sub-20. A ideia é monitorar ao máximo os jovens atletas do futebol brasileiro. Convocaremos as Seleções com a maior frequência possível para treinos e amistosos. Vamos povoar a Granja Comary com a base do Brasil”, disse Caboclo ao site da CBF.

Branco, ex-jogador e campeão do mundo na Copa de 1994 nos Estados Unidos, continua como coordenador-geral das categorias de base da CBF.

Realinhamento com a TV Globo
Emissora continua como detentora dos direitos de transmissão dos jogos da Seleção Brasileira, do Brasileirão e Copa do Brasil em canal aberto, mas vai rever contratos de exibição da maioria dos campeonatos estaduais a vencer ao final deste mês de abril. Por isso a CBF trabalha para reduzir as datas dos estaduais a partir de 2020.

(texto publicado no Chuteira FC)

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: