Palmeiras sobrevive e não pode crucificar Gabriel Jesus

gabriel-jesus-palmeiras_5myu1h4cwp3m1weg8xi0ugky3
Gabriel Jesus marca dois gols e sai expulso por revidar falta contra o Rosário

A situação do Palmeiras é crítica na Copa Libertadores com o empate por 3 a 3 contra o Rosário Central na Argentina. O resultado deixa o time de Cuca com 5 pontos, três a menos que o Rosário e o Nacional, que enfrenta o River Plate, do Uruguai, nesta quinta-feira, mas ainda vivo na competição.

Na última rodada, o Palmeiras tem de golear o River e torcer por vitória do Nacional em cima Rosário, que se enfrentam no Uruguai, para definir a classificação no saldo de gols.

Números à parte, não se pode atribuir a Gabriel Jesus o, digamos, insucesso do Palmeiras nesta partida contra o Rosário. O garoto, muito caçado pelos argentinos, fez dois gols, meteu uma bola na trave, que poderia ter sido o 3 a 1, e foi expulso ao revidar uma falta.

A atitude do menino foi fruto de uma série de botinadas que levou ao longo da partida e, evidente, à falta de experiência de um jogador que completou 19 anos no último domingo. Jesus, que não se perca pelo nome, precisa aprender a levar bordoadas e não discutir. Tem de engolir seco, se levantar, e continuar na luta. Isso leva tempo e cabe à comissão técnica do Palmeiras ensinar esse evangelho ao garoto.

Expulso, aos 27 minutos do segundo tempo, ele comprometeu a estratégia de Cuca, que armou o Palmeiras para jogar com três zagueiros, liberar os laterais e esperar por falhas do Rosário em contra-ataques mortais. Sem o seu aríete, o time perdeu força no contragolpe e não conseguiu ir adiante, apesar do gol de empate de Lucas Barrios.

“A situação de Gabriel é simples: ele é um jogador que não pode ficar ao lado do campo. Se põe ele para flutuar entre os volantes e zagueiros, é inteligente e chega fácil ao gol. O menino já é um grande jogador e vai ser melhor ainda com algumas correções”, disse Cuca ao final do jogo.

Elogios a Gabriel Jesus por parte de Cuca também deveriam ser dirigidos a Fernando Prass. O goleiro tem feito a diferença e, contra o Rosário Central, mais uma vez ele apareceu nos momentos decisivos e deixou o Palmeiras vivo na Libertadores.

“É a primeira expulsão minha. É difícil levar na cara e não revidar. Fui infeliz. Perdemos pontos em casa onde não podíamos perder. Agora é ganhar bem em casa, secar um pouco e conseguir se classificar”, disse Gabriel Jesus quase uma hora depois do jogo.

Seu semblante era de tranquilidade, apesar de tudo o que aconteceu com ele no jogo. Um tanto ingênuo e mais confiante, Gabriel Jesus vai aprender muito com essa partida na Argentina.

O menino está fora da rodada decisiva do Palmeiras na Copa Libertadores e no Campeonato Paulista, neste fim de semana. E isso precisa ser levado em conta, sem julgamento apressado.

Anúncios