São Paulo perde do lanterna e ainda não fecha conta na corrida contra rebaixamento

image-1São Paulo ainda não fechou a matemática contra o rebaixamento. Diante do América-MG, até então na lanterna do Brasileirão, o Tricolor perdeu por 1 a 0 – 13.ª derrota no campeonato em 33 jogos – e deixou de somar os três pontos preciosos que poderiam acabar com a ansiedade e afastar o time do risco imediato da degola. Este resultado ruim não caça fantasmas da Segunda Divisão.

São Paulo é daqueles times que não podem cometer o erro mínimo. Um descuido, por mais inocente que possa parecer, se torna fatal. No primeiro tempo contra o América-MG virou vítima dessa desatenção. Quando parecia tudo controlado, com luxo até de criar duas boas situações de gol com Neres e Chávez, cometeu uma falha e pagou caro.

Tudo começou com uma roubada de bola de Ernandes em Wesley em um ataque do Tricolor. Ernandes esticou pelo alto,  Maicon saiu uma gilete do chão, Rodrigo Caio não deu o bote e a bola caiu nos pés de Michel. Ele emendou de primeira, de longe, e Denis aceitou. Era o primeiro chute do América, com 26 minutos de jogo: 1 a 0.

Até ali, o São Paulo se sentia o dono da partida. Avançava com certa sintonia, sempre tendo como saída os passes de Schimidt e Thiago Mendes e, muito raro, de Cueva, único articulador de fato e de direito do time. Lá frente, Neres no setor direito, Chávez centralizado e Kelvin aberto na esquerda cumpriam com suas burocráticas funções.

Tudo muito certinho, quadradinho, mas sem encontrar uma solução adequada ao tamanho do São Paulo diante do vice-lanterna do Brasileirão. E, após levar o gol, se desmanchou vítima da ansiedade e os nervos fora do feixe. Típico de um time invertebrado.

Era preciso ter mais alternativas, repertório, criar algo de extraordinário, fora do padrão. Ter em mente que a zona de rebaixamento ainda era, naquela altura do jogo, uma realidade.

image

Então chegou o segundo tempo. Sem medo e por conta e risco, o time de Ricardo Gomes ocupou o campo inimigo. Com 16 minutos, esteve perto de empatar – Rodrigo Caio errou um lance de cabeça e Neres chutou, de novo, em cima de João Ricardo. Era o terceiro gol perdido pelo garoto frente a frente com o goleiro adversário.

Como o gol não saía, Gomes tirou Kelvin e mandou Pedro ao jogo, para atuar dentro da área ao lado de Chávez, e abriu Cueva na ponta-esquerda. Sinal de o bombardeio aéreo, em cruzamentos, seria intenso. Não funcionou. O treinador substituiu Chávez por Luiz Araújo, tomando assim um ataque apenas com os meninos da base, a partir dos 33 minutos.

Problema do São Paulo não era juventude, era futebol. Garotos produzidos em casa dessa vez conseguiram encontrar o gol salvador. Quando um time em pânico se socorre aos meninos é porque todas as outras alternativas se esgotaram. Essa é a tragédia do Tricolor na temporada de 2016.

FICHA DO JOGO

América-MG 1 x 0 São Paulo

Gol: Michel, aos 26 minutos do primeiro tempo.

América-MG: João Ricardo, Christian Sávio, Éder Lima, Messias (Makton) e Ernandes; Juninho, Leandro Guerreiro e Danilo Barcelos; Matheusinho (Renato Bruno), Michel (Claudinei) e Tony. Técnico: Enderson Moreira

São Paulo: Denis, Wesley, Maicon, Rodrigo Caio e Mena; João Schimidt, Thiago Mendes e Cueva; David Neres, Chávez (Luiz Araújo) e Kelvin (Pedro). Técnico: Ricardo Gomes

Juiz: João Batista de Arruda
Cartões amarelos: Mena
Local: Independência

Anúncios