Árbitro do clássico Corinthians x Palmeiras paga caro por seu erro

keno-aponta-e-o-arbitro-thiago-duarte-peixoto-da-o-segundo-cartao-amarelo-para-gabriel-que-nao-so-nao-cometeu-a-falta-como-nem-participou-do-lance-1487815269145_956x500Tiago Duarte Peixoto, árbitro da trapalhada no clássico entre Corinthians x Palmeiras, vive dias de linchamento moral e profissional. Espicaçado nas redes sociais, programas de televisão e por toda a comunidade do futebol, sofreu uma dura punição da Federação Paulista e não poderá apitar mais nenhum jogo por tempo indeterminado em competições organizadas pela entidade. A CBF também encampou a decisão da FPF e não vai escalar o árbitro em jogos sob a tutela da confederação. Tiago deve passar um ano sem assoprar o apito.

Dentro do Corinthians, o juiz virou alvo de ironias. Clube convocou uma coletiva  nesta quinta-feira (23/2) com Gabriel e Maycon, envolvidos no lance da polêmica no clássico. Os dois chegaram na sala de entrevistas usando máscaras – Gabriel com a máscara de Maycon e Maycon com máscara de Gabriel. Diante de uma platéia de jornalistas se multiplicaram risos e brincadeiras com o erro do juiz. Roberto Andrade, presidente do clube, pediu o banimento de Tiago Peixoto do futebol e, muito bravo, falou que o árbitro não apita mais jogos do Corinthians e, se possível, de nenhum clube.

“Vou pedir que não apite mais jogo de ninguém. De ninguém. O quarto árbitro também fez o trabalho dele, mas o Tiago não deu atenção a ninguém. Está mexendo com o time errado. Ele tem de ser banido do futebol, não pode ser nem torcedor, tem de passar a quilômetros de um estádio de futebol. Está de brincadeira. Ele Ee arrogante e prepotente.”

Diz a Federação Paulista que Tiago será submetido a “avaliações técnicas, psicológicas e físicas por tempo determinado” até ser liberado. Enquanto estiver nesse processo, Thiago não vai receber um tostão da entidade paulista. Vai ter de se virar por conta própria. Bom lembrar que os árbitros no Brasil não são profissionais e são remunerados jogo a jogo.

LEIA MAIS: no CHUTEIRA FC você encontra notícias e debate do futebol

Nesta sexta-feira (24/2), uma voz saiu em defesa de Tiago Peixoto. Artur Alves Júnior, presidente do Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado de São Paulo (Safesp), fez duras críticas a Roberto Andrade e Federação Paulista.

“Foi uma declaração, no mínimo, infeliz. Ele (Roberto Andrade, presidente do Corinthians) não é Deus para desculpar ou não alguém. Ele tem que cuidar do clube dele, e eu cuido do meu associado”, disse Arthur Alves Júnior.

Andrade apareceu em programas de televisão, ainda nesta sexta-feira, tão logo o presidente do sindicato o espinafrou e bateu mais pesado ainda:

“Esse cidadão não tem moral para falar do Corinthians (citação do presidente do sindicado ao processo do impeachment no clube). Pode defender seu associado como quiser, até porque vive de contribuição sindical. Repito que essa pessoa (Tiago Peixoto) é prepotente, arrogante e não teve humildade de voltar atrás, todo mundo avisou que ele estava errado. Quanto ao presidente do sindicato é só dar um Google que vocês vão ver quem é. Ele foi afastado da Comissão de Arbitragem da Federação Paulista por assédio sexual dentro da Federação. Tá tudo na internet”, insistiu o presidente do Corinthians.

Artur Alves Júnior disse que o afastamento de Tiago Peixoto não serve a ninguém. E lamentou que o trio de arbitragem teve de ir de metrô até o Itaquerão.

“Quero deixar bem claro a posição do Safesp, que é de total apoio ao associado Tiago Duarte Peixoto. Ele se equivocou, assumiu o equívoco após o término da partida e, inclusive, fez constar isso em súmula. Mas não podemos jogar toda a culpa do acontecido nas costas do Tiago, já que o momento de instabilidade vivido pelos árbitros junto ao Departamento de Arbitragem e Comissão de Arbitragem da Federação Paulista de Futebol, tem que ser levado em consideração. Afinal, isso interfere bastante quando um trio ou um quarteto vai a campo para apitar uma partida de futebol”, disse o presidente do Safesp. “Eles tiveram de ir de metrô até o estádio do Corinthians.”

A FPF diz que oferece transporte aos árbitros da sede da entidade até os estádios. No caso de Tiago Peixoto, chovia pesado na região da Barra Funda e, por sugestão do trio de arbitragem, foram levados até Estação Barra Funda e dali seguiram de metrô até Estação Mooca. Lá pegaram um carro e foram até o Itaquerão.

Desde quarta-feira (22/2), Tiago Duarte Peixoto não mais se manifestou sobre os incidentes no clássico Corinthians x Palmeiras. No seu depoimento após o jogo ainda no Itaquerão, fez um apelo para que não seja banido do futebol:

thiagoduartepeixotoarbitrocorinthianspalmeiraspaulista22022017fernandodantasgazetapress“Já passei por momentos delicados na minha vida pessoal (em 2016 sua mulher estava grávida e morreu de pneumonia, mas os médicos fizeram o parto e filho de Tiago nasceu)  e agora é um momento delicado na minha vida profissional. Espero com muita fé e força de vontade continuar minha carreira. Seguir, como segue todo mundo quando comete um equívoco no trânsito, perde um gol, que usa uma palavra errada quando jornalista. Não estou querendo justificar. Apliquei o cartão amarelo e vermelho para a pessoa errada, mas espero do fundo do meu coração que minha carreira continue.”

(texto publicado no CHUTEIRA FC)

Anúncios