Opinião: Tite é devorado pela Copa do Mundo

foto: CBF oficial

“Copa do Mundo te consome”. A sentença é de Tite, na madrugada fresca de Doha, pouco menos de duas horas após ser abatido por Camarões. Mais que consumir, a Copa é massacrante. Não se tem tempo de respirar. Tite sabe, ou deveria saber, que não se pode improvisar. Ao lançar os reservas aos leões colhe a primeira derrota do Brasil para uma seleção africana na história das Copas do Mundo.

“Fica sentido e tem que sentir quando perde. Faz parte da vida. Mas o futebol e a competição te proporcionam, até por termos vencido dois jogos, uma segunda chance. Mas temos que ficar sentidos, até amanhã de tarde quando iniciarmos a preparação”, diz Tite. “Vou ficar marcado sim com treinador que perdeu pela primeira vez para um adversário africano.”

Assumir a responsabilidade do insucesso faz parte do enredo no futebol. A queda, porém, tem outros argumentos. Tite paga a conta por não pensar com mais rigor no setor vital do time: o meio campo.

Na Seleção titular, o treinador escala Casemiro, Paquetá e Neymar. Sem Neymar, Paquetá adianta como meia e não resolve. Fred é a primeira opção que Tite mais aposta. Esse é seu grande erro. Fred não cumpre bem nenhuma função. Mais engana do que resolve. Bruno Guimarães parece ser a solução.

Rodrygo seria o herdeiro de Neymar. Não foi bem contra Camarões. Cria incertezas quanto ao seu aproveitamento nas oitavas diante da Coreia do Sul.

Como escalar o meio campo é a pergunta que atormenta Tite. E, pior, tem pouca esperança de contar com a volta de Neymar.

Acompanhe a declaração do médico Rodrigo Lasmar:

“Quanto a Neymar e Alex Sandro, ainda temos 72 horas para o próximo jogo, vamos contar com o tempo ao nosso favor. Nós temos possibilidades ainda e vamos aguardar como vai ser essa transição. Ainda não começaram o trabalho em campo com bola, isso será feito amanhã (sábado), e é importante observar como será a resposta deles a esse novo estímulo. Dependendo disso, podem ter ou não condições”.

Isto é, Neymar é um ponto de interrogação, o mais expressivo na cabeça de Tite. Aliás dúvidas habitam pensamentos do treinador. Isso é muito grave.