Palmeiras, Corinthians e Atlético são candidatos a faturar o Brasileirão 2016

Campeonato Brasileiro longo, com 38 rodadas, é um prato feito para palpites, análises e apostas sobre quem vai ser campeão, figurar no G-4 (classificatório à Libertadores), na zona sem stress (não briga pelo título nem vai ser rebaixado) e os que podem cair para a Série B. Neste blog você tem uma análise da situação dos 20 clubes que, neste sábado (14/5), entram na guerra por um lugar no topo no Brasileirão 2016.

Quem não conhece o regulamento, não custa lembrar que o campeonato é disputado por 20 clubes. Todos jogam contra todos em turno e returno. O time que somar o maior número de pontos leva a taça. O campeão, o segundo e terceiro colocados se classificam à Copa Libertadores de 2017. O quinto colocado entra na pré-Libertadores. E os quatro piores serão rebaixados à Série B.

Projeção das rodadas, sequência de jogos em casa, força do elenco, caixa forte, treinador com boa bagagem no Brasileirão e, evidente, pelo menos um jogador acima da média podem fazer a diferença ao longo desta competição, que se estende deste sábado até a primeira semana de dezembro sem interrupção, apesar de termos no meio do caminho a Copa América Centenário, em junho nos EUA, e a Olimpíada, em agosto no Rio.

Vamos às projeções dos clubes:

CANDIDATOS A CAMPEÃO

imagesPalmeiras – Eliminado na fase de grupos da Libertadores e semifinais do Paulistão, teve tempo de sobra para se preparar. Tem um bom e numeroso elenco, com alguns jogadores versáteis. Cuca é um técnico experiente, acostumado a ser campeão e tem bom currículo. Gabriel Jesus, mais maduro aos 19 anos, é o diferencial. Não corre riscos de desmanche na janela de agosto.

images-1Corinthians – Pode pensar grande se não perder peças importantes, como Felipe e Elias, ao mercado internacional. A seu favor, o fator casa. No Itaquerão é quase imbatível e isso contra muito neste campeonato de pontos corridos. Falta ao time, um jogador acima da média. Tite pode fazer a diferença com seu esquema de segurança defensiva e eficiência no ataque.

images-4Atlético-MG – Muito do que o time pode fazer no campeonato depende de seu futuro na Libertadores. Se for eliminado na próxima quarta-feira pelo São Paulo, deve entrar em crise com a cabeça do técnico Diego Aguirre a prêmio. Tem elenco qualificado e um goleador nato, Lucas Pratto. É candidatíssimo ao título.

BRIGAM POR G-4

escudo-santosSantos – Poderia entrar na lista dos favoritos ao título se pudesse disputar pelo menos o primeiro turno com todos os seus jogadores. Obrigado a ceder Lucas Lima, Gabriel e Ricardo Oliveira à seleção brasileira e, provavelmente, mais dois à seleção olímpica, pode perder terreno no momento agudo do campeonato. Dorival Júnior não tem um grande elenco e os reforços que chegaram são de segundo escalação. Na Vila, não perde.

escudo-sao-pauloSão Paulo – Seu desempenho no Brasileirão está ligado ao seu futuro na Libertadores. Se avançar na competição internacional, pode deixar o nacional de lado. O técnico argentino Edgardo Bauza nunca disputou um campeonato longo no Brasil e isso pode pesar. O elenco tem algumas carências e deve perder o atacante Calleri e o zagueiro Maicon. Só Paulo Henrique Ganso pode fazer a diferença.

escudo-gremioGrêmio – A campanha ruim na Libertadores e no Gaúcho acenderam o sinal de alerta. O técnico Roger Machado vai entrar pressionado no Brasileirão. O grupo de jogadores deve suportar bem as primeiras rodadas, mas pode perder fôlego ao longo da competição. O equatoriano Bolaños é a referência, mas vai servir ao seu país na Copa América, em junho.

Unknown-1Internacional – Sempre apontado como candidato ao título, desse vez não tem credencias para pensar grande. O elenco é razoável. Perdeu D’Alessandro e vai ficar sem o goleiro Alisson, de malas prontas para jogar na Itália. O técnico Argel Fukcs não está no nível dos grandes treinadores. Falta um jogador de referência. No Beira-Rio se impõe, fora nem tanto. É uma incógnita.

images-5Fluminense – Tem bons jogadores novos, como o meia Gustavo Scarpa, mas o elenco não é muito qualificado. Seus principais jogadores são mais veteranos, casos de Fred, o zagueiro Henrique, o goleiro Diego Cavalieri e Cícero. A favor a experiência do técnico Levir Culpi. O maior problema do time é não poder mandar seus jogos no Maracanã. Vai ter de viajar muito e isso pesa na reta final.

escudo-flamengoFlamengo – Ainda é uma incógnita com o comando de Muricy Ramalho, tetracampeão brasileiro. O time titular é bom, mas o elenco é fraco e tem algumas carências no setor defensivo. Assim como o Fluminense, não vai poder mandar seus jogos no Maracanã. Sem sua casa no Rio, é outro que vai viajar muito. De diferente, apenas Guerrero.

 

NÃO LUTAM POR NADA

escudo-sportSport – Não tem cacife para brigar por G-4, apesar de ser forte jogando em casa. O técnico Oswaldo de Oliveira chegou agora e vai ter pouco tempo para dar um perfil ao time. O elenco não é forte, o destaque é Diego Souza, que volta após rápida passagem pelo Fluminense. Pode pensar alto se fizer a diferença na Ilha do Retiro.

escudo-cruzeiroCruzeiro – Começou muito mal a temporada com a troca precoce de treinador. Aposta no português Paulo Bento, que ainda vai ter de se adaptar ao futebol brasileiro. Isso pode ter um peso de relevância em um campeonato longo como o Brasileirão. Não tem um grupo forte, nenhum jogador diferente. Vai sofrer.

images-2Atlético-PR – Em casa, é muito forte. O time não sofreu grandes alterações em relação à temporada passada. Tem um ataque com dois jogadores rápidos, Nikão e Ewandro, e o goleador gordinho Walter. Fora da Arena da Baixa, não mete medo. O técnico Paulo Autuori tem currículo de peso, apesar de campanhas ruins recentes em outros times.

Unknown-2Chapecoense – Na Arena Condá, não costuma vacilar. O elenco é equilibrado, mas sem um jogador diferente. Fora de casa, não intimida ninguém. O técnico Guto Ferreira, desde o ano passado no comando do time, costuma armar bem o time. Se fizer bem a lição de casa, não vai sofrer na luta contra a queda.

UnknownBotafogo – Tem o cobertor curto quando se analisa seu grupo de jogadores. Não tem um craque para fazer a diferença. Sua principal referência é o veterano goleiro Jefferson. Ricardo Gomes, no comando desde a campanha na Série B, organiza bem o time. Assim como Fla e Flu, não vai mandar seu jogos no Maracanã. Vai se desgastar com viagens.

escudo-america-mgAmérica-MG – De volta à Série A, vem credenciado com o título de campeão mineiro que não conquistava há 15 anos. Givanildo Oliveira está no comando há mais de dois anos. Não tem um elenco muito qualificado, mas é bem equilibrado. O destaque é o garoto Matheusinho, atacante de muitos recursos. É outro que tem de fazer a diferença em casa.

imagesSanta Cruz – Volta à Série A depois de um longo período perambulando até pela Série C. Vem de um bom momento com os títulos da Copa do Nordeste e Pernambucano. Com essa empolgação, pode fazer a diferença, em especial no Arrudão, no início do campeonato. A dúvida é se vai ter elenco para aguentar até dezembro. Milton Mendes é um bom treinador e já mostrou serviço no Atlético-PR. O craque do time é o meia João Paulo e a referência é Grafite, de 37 anos.

CONTRA A DEGOLA

images-1Ponte Preta – Costuma surpreender no início da competição, mas depois perde fôlego por carências no elenco. Foi muito mal no Paulistão e trocou de técnico. Quem manda agora é Eduardo Baptista, que fez um bom Brasileiro no Sport até trocar o clube pelo Fluminense, onde não foi bem. Não tem grandes ambições a não ser permanecer na Série A.

escudo-figueirenseFigueirense – Bateu na trave nos últimos campeonatos ao escapar do rebaixamento nas rodadas finais. Só se impõe em jogos em casa, assim mesmo sem muita regularidade. Tem um bom treinador, Vinicius Estropio. O elenco é fraco e quem se destaca é Rafael Moura, em fase descendente. É sério candidato a cair.

Unknown-1Coritiba – Outro que tem escapado da degola nas últimas rodadas. Tem um time rodado e com jogadores que não primam pela regularidade, como Kleber Gladiador e Negueba. No Paranaense levou uma sova do rival Atlético-PR. O técnico é Gilson Klein, que na temporada passada caiu com o Avaí.

images-3Vitória – Mostrou força ao ser campeão baiano em cima do seu principal rival. O elenco é fraco e não deve ter fôlego para suportar o Brasileirão. Pode fazer a diferença em casa, no Barradão, onde mete medo nos rivais. O técnico Vagner Mancini não tem currículo de peso, mesmo com muito tempo de carreira. É forte candidato a cair.

Bom Brasileirão a todos. Façam suas apostas.

Anúncios