Clubes europeus atrapalham seleção brasileira olímpica

Seleção Brasileira Olímpica terá de conviver com empresários de jogadores durante a preparação e na disputa do torneio de futebol dos Jogos do Rio (de 5 a 21 de agosto). Inevitável. Dos 18 convocados, pelo menos quatro dos principais atletas do time negociam no mercado europeu. Gabriel Jesus, Gabriel, Rodrigo Caio e Marquinhos têm propostas para trocar de clube.

Não há como empurrar as transações para depois da Olimpíada. A janela de transferências na Europa se fecha em 30 de agosto. Entre o encerramento dos Jogos e a data limite para compra e venda de jogadores serão apenas 9 dias. E não são negociações fáceis de se resolver.

Veja como está o cenário do mercado nesta quinta-feira (14/7):

  1. Rodrigo Caio – Lazio oferece 10 milhões de euros ao São Paulo e mais 2 milhões de erros de bônus ao jogador. O pacote sairia por cerca de R$ 54,6 milhões. Com a queda do time na Libertadores, a saída de Rodrigo Caio é questão de dias.
  2. Gabriel – Juventus e Chelsea querem o atacante do Santos. O clube italiano, segundo a imprensa italiana, pagaria 20 milhões de euros (R$ 73 milhões) apenas pelos 40% dos direitos econômicos que pertencem ao clube paulista. Doyen Sports (grupo de investidores) tem 20% e o jogador, 40%. Gabigol nega que tenha renovado contrato com o Santos.
  3. Gabriel Jesus – Alexandre Mattos, diretor de futebol do Palmeiras, tem visita programada ao Barcelona. O clube espanhol espera fechar um acordo e levar o garoto em 2017. Juventus, Inter de Milão e Real Madrid também têm o jogador no radar e assediam o Palmeiras.
  4. Marquinhos – Barcelona seria o destino do zagueiro, que tem contrato com Paris Saint-Germain. Empresários do jogador receberam sondagens do clube espanhol e abriram negociações. Marquinhos pode ser do Barça antes mesmo do início da Olimpíada do Rio.

Rogério Micale, treinador da Seleção Olímpica, terá de administrar essa situação. Sua missão é manter os garotos ligados nos treinamentos e, fundamental, na disputa dos Jogos sem se deixar levar pelas negociações em curso.

CBF e estafe dos jogadores também serão obrigados a participar dessa empreitada, sob pena de interesses externos à seleção interferirem no trabalho da comissão técnica e, pior, tirar a concentração da garotada.

Do grupo de 18 convocados por Micale, o atacante Luan (Grêmio), zagueiro Luan (Vasco) e o volante Rodrigo Dourado (Internacional) têm sondagens de clubes da Europa.

 

BOA LEITURA

Recomendo aos leitores deste blog um livro bem interessante sobre futebol e Olimpíada escrito pelos jornalistas Luis Augusto Simon e Adalberto Leister Filho.

“Gol de Ouro – A história do futebol nos Jogos Olímpicos”  (337 páginas – Editora Letras do Brasil – R$ 39).

13599931_1645743305746778_7052067347305925927_nNarra a saga do futebol nos Jogos de 1900 a 2012. Mostra como foi a primeira vez que o futebol esteve presente em uma Olimpíada, no capítulo “A pré-história do futebol”; passa pelo crescimento do esporte na competição (a partir de 1920) em “Clima de Copa do Mundo”; lembra as mudanças que o torneio passou desde 1984, no capitulo “Profissionais em Campo” e, em sua quarta parte, fala sobre a entrada do futebol feminino no universo olímpico em “As Mulheres em Campo”.

E ainda saborosos detalhes sobre como foram as partidas de futebol, o livro nos leva dentro do contexto histórico e político de cada Olimpíada, trazendo fatos e curiosidades, atletas que se destacaram, resultados das partidas e quadro de medalhas. Depoimentos de Evaristo Macedo, Zé Elias, o técnico René Simões, Sávio e Milton Cruz, que disputaram a Olimpíada.

Luis Simon, meu amigo Menon, companheiro de jornadas memoráveis na redação do Jornal da Tarde e inesquecíveis batalhas nos estádios e Copas do Mundo, lança o livro neste sábado em Aguaí (SP), ali pertinho da minha Guaxupé (MG).

 

Anúncios