Corinthians se reinventa no Maracanã e não desiste de vaga na Libertadores

20161023173224_580d1048d606f
Guilherme celebra seu gol, o primeiro do Corinthians – foto: mowapress

Corinthians tinha tudo contra neste domingo no Rio. O adversário era o Flamengo, na briga pelo título, o cenário era o Maracanã com mais de 60 mil torcedores, e a casa ainda não está do jeito que Oswaldo de Oliveira, há uma semana no comando, gostaria de ver. Um enredo que nem sequer o mais otimista corintiano poderia prever um bom resultado. No fim das contas, o time poderia ter voltado com uma vitória não fosse por um erro grosseiro da arbitragem, que validou um gol impedido de Guerrero. Nas adversidades antes da partida, o Corinthians não contava com a falha do juiz.

Por isso, os jogadores deixaram o Maracanã irritados e contrariados. Veja o que disse o lateral Fagner.

“Vou dizer que (o resultado) foi ótimo, pela maneira como a equipe jogou, duas vez à frente do placar contra um time que está brigando pelo título. Isso mostra a força que o Corinthians tem. Tinha condição de estar mais à frente na tabela, mas todo ponto é bem vindo”, comentou Fagner.

Atacante Lucca não teve a mesma diplomacia do companheiro. Cuspiu marimbondos.

“Contra o Corinthians, se a gente faz um gol desse (Guerrero impedido), são 15 dias, um mês falando disso. Em um jogo tão importante, uma partida decisiva como essa, não pode ter erro grosseiro como esse. Está errado. Não pode. Estava (Guerrero) três, quatro metros impedido. Não pode”, disse Lucca.

Reclamação dos corintianos procede. O time havia surpreendido o Flamengo com uma boa organização defensiva, mesmo com Williams de cão de guarda – jogador contestado pela torcida. No ataque, outra boa nova com Romero, Guilherme e a chegada de Rodriguinho. Corinthians se defendia bem e ferroava no ataque.

imagem_61062_largeChamava atenção os equívocos do técnico Zé Ricardo. Seu meio-campo tinha três volantes (Márcio Araújo, Willian Arão e Mancuello) e apenas Diego para criar. No ataque, lentidão com Emerson Sheik e Guerrero. Não havia escape pelos lados do campo. Daí o Fla viver de cruzamentos na área, na bola parada, e uma e outra descida dos laterais Pará e Jorge. Pouco a um time que briga pelo título e estava nos calcanhares do Palmeiras.

Essa estratégia não funcionou. Até por isso, a derrota parcial por 2 a 1 no primeiro tempo, com direito a gol irregular de Guerrero, foi recebida com alívio.

20161023185236_580d231472383Na segunda parte do jogo, Guerrero, dessa vez em posição legal, empatou aos 13. Empate fruto de uma pressão desorganizada, nada mais que isso. Gol que não teve o poder transformador a favor do Fla. Não fosse a expulsão de Guilherme, o time paulista poderia ter voltado a São Paulo com a vitória.

Oswaldo, ainda sem convencer a Fiel, começa a reinventar o Corinthians e com boas possibilidades de buscar vaga salvadora no G-6, que devolve o time à Copa Libertadores.

“Normalmente poderíamos ter saído com a vitória. Mas de qualquer maneira, não é um resultado ruim, somamos um ponto aqui em situação completamente adversa e temos seis jogos para avançar e galgar uma situação melhor”, disse Oswaldo de Oliveira.

FICHA DO JOGO

Flamengo 2 x 2 Corinthians

Gols: Guilherme, aos 5; Guerrero, aos 14: e  Rodriguinho, aos 46 minutos do primeiro tempo.Guerrero, aos 13 minutos do segundo tempo

Flamengo: Alex Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Jorge (Chiquinho); Márcio Araújo, Willian Arão (Leandro Damião), Diego e Mancuello (Fernandinho); Emerson e Paolo Guerrero. Técnico: Zé Ricardo

Corinthians: Walter; Fagner, Vilson, Balbuena e Uendel; Willians, Marquinhos Gabriel (Marlone), Giovanni Augusto (Camacho), Rodriguinho e Ángel Romero (Lucca); Guilherme. Técnico: Oswaldo de Oliveira

Juiz: Anderson Daronco (RS)
Cartões Amarelos: Guilherme, Giovanni Augusto, Rodriguinho, Walter, Emerson Sheik e Réver. Cartão vermelho: Guilherme
Renda: R$ 3.203.207,50
Público: 54 250 pagantes
Local: Maracanã

Anúncios