Inventário da derrota (4): A Copa imperfeita de duas gerações do Brasil

Chuteira FC na Copa do Mundo 2018Luiz Antonio Prósperi, de Moscou / Rússia

Neste último capítulo do inventário do Brasil na Rússia,

Blog do Prósperi faz uma análise do desempenho dos jogadores, a nota de cada um e futuro na Seleção Brasileira. Acompanhe:

Goleiros:

ALLISSON
Pouco exigido, não fez milagres como alguns goleiros de outras seleções. Aos 25 anos, tem idade para pelo menos mais duas Copas e pode ter vida longa desde que passe por testes mais duros – Nota: 5

EDERSON
Não jogou nenhum minuto na Rússia, mas passou pelo crivo de Taffarel. Tem apenas 24 anos e se continuar jogando em alto nível do Manchester City pode reivindicar algo mais na Seleção. Sem nota

CASSIO
Outro que não jogou nenhum minuto na Copa. Aos 31 anos, tem tempo para jogar mais um Mundial. Não tem futebol para se tornar indispensável como Alisson e Ederson. Sem nota

Laterais:

FAGNER
Disputou a Copa por Tite ser o treinador da Seleção. Não teria chance se fosse outro o técnico. Chegou reserva, virou titular ao Danilo se machucar. Tem 29 anos. Sofreu na maioria dos jogos. – Nota: 3

DANILO
Ganhou a vaga quando Daniel Alves se machucou. Seria titular, mas sofreu duas lesões. Não foi testado para valer. Aos28 anos, seu histórico de lesão e futebol irregular comprometem futuro na Seleção – Nota: 4

MARCELO
Chegou com muita fama por suas atuações no Real Madrid. Mas não jogou nem um terço do que pode. Para funcionar, precisa de uma boa cobertura. Aos 31 anos não tem lenha para mais uma Copa – Nota: 6 

FILIPE LUÍS
Cumpriu bem seu papel de coadjuvante quando chamado a substituir Marcelo. Foi bem na marcação e zero no ataque. Aos 34 anos não deve emplacar um novo Mundial, mesmo se Tite continuar – Nota: 5

Zagueiros:

THIAGO SILVA
Um dos poucos que se salvaram na Copa. Soberano, jogou de fraque e cartola. Mostrou liderança e muita técnica. Aos 34 anos não deve chegar no Mundial de 2022 no Catar. Vai fazer falta – Nota: 7

MIRANDA
Ao lado de Thiago Silva, também se salvou. Com exceção no gol da Suíça na estreia, esteve quase perfeito nos outros jogos. Aos 34 anos é outro que não deve chegar ao Mundial de 2022 – Nota: 7

MARQUINHOS
Herdeiro natural de Thiago Silva, deve assumir a zaga sem grandes problemas se manter o nível técnico no PSG, seu clube. Jogou poucos minutos contra o México. Aos 24 anos tem muito chão pela frente – Nota: 6

GEROMEL
Convocado de última hora, não foi testado na Copa. É da turma que não teve uma chance na Rússia, amargando banco de reservas em todos os jogos. Aos 33 anos, não emplaca mais uma Copa – Sem nota

Volantes e Meias:

CASEMIRO
Tem vida longa na Seleção. Jogou bem todas as partidas e fez muita falta no jogo contra Bélgica ao cumprir suspensão. Aos 26 anos tem duas Copas pela frente. Imprescindível seja quem for o treinador – Nota: 7

FERNANDINHO
Marcou sua despedida da Seleção na Rússia. Reserva, quando chamado atuou bem. Destoou na derrota para a Bélgica quando todo o time caiu. Aos 33 anos, não deve chegar à Copa do Catar 2022 – Nota: 6

PAULINHO
Seu tempo na Seleção também passou. Como em 2014, se apagou em 2018. Muito longe daquele jogador que encantou na campanha das Eliminatórias. Aos 30 anos não deve emplacar em 2022 – Nota: 4

RENATO AUGUSTO
Outra cria de Tite, jogou pouco tempo e fez um gol e pouco contribuiu. Refém de lesões e estado físico sempre  em baixa, tem prazo de validade vencido. Aos 30 anos dificilmente vai ao Catar 2022 – Nota: 4

PHILIPPE COUTINHO
Um dos que se salvaram na Copa com atuações acima da média. Carregou o Brasil na primeira fase. Tem muito chão pela frente e deve crescer na Seleção. Aos 26 anos tem idade para mais duas Copas – Nota: 8

FRED
Não foi testado na Rússia. Sofreu lesão na fase de treinamentos e não se recuperou para valer. Ao trocar o futebol da Ucrânia pelo inglês, a tendência é crescer. Aos 25 anos tem duas Copas pela frente – Sem nota 

Atacantes

WILLIAN
Uma das maiores decepções da Copa. Chegou com fama por ótimos serviços no Chelsea e pré-Copa com a Seleção e caiu de rendimento. Sentiu a pressão. Aos  3o anos não deve emplacar a próxima Copa – Nota: 4

GABRIEL JESUS
Outro que não rendeu o que se esperava. Se dedicou mais ao time do que a si próprio. Não fez nenhum gol, ele que era artilheiro da era Tite. Aos 21 anos, tem toda chance de se recuperar – Nota: 5

ROBERTO FIRMINO
Deveria jogar mais. Entrou na maioria dos jogos no segundo tempo e se deu bem. Fez um gol. Faltou coragem a Tite para usar mais o atacante. Aos 27 anos, pode se firmar na Seleção e jogar a Copa 2022. Nota: 7

NEYMAR
Se deixou levar pelo extra-campo e sentiu a pressão de carregar o Brasil nas costas. Tempo parado para se recuperar da fratura no pé cobrou uma conta alta na Copa. Faltou a Neymar mais concentração. Imaginou que com seu talento resolveria todos os problemas. Aos 26 anos tem tempo para ser tornar ídolo e jogador de verdade. Claro, disputar mais duas Copas – Nota: 7

TAISON
Invenção de última hora de Tite, não jogou um mísero minuto na Rússia. Não foi testado e, se houver troca de comando na Seleção, dificilmente será lembrado. Aos 30 anos não tem chance de ir ao Catar – Sem nota.

DOUGLAS COSTA
Seria titular se não fosse as lesões. Se apresentou machucado à Seleção. Se recuperou e quando foi chamado se machucou de novo. Aos 28 anostem bola para mais uma Copa, mas precisa cuidar do corpo –Nota 6

Leia mais:

A Copa perdida do menino Ney

A Copa deslumbrada de Tite

A Copa desastrada da CBF

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: