Gabriel Jesus mostra a cara do Palmeiras na estreia no Brasileirão

622_ae5174ba-5d8a-3e57-8174-0f9646fe4844
Gabriel Jesus fez a diferença na goleada do Palmeiras

Há muito tempo o Palmeiras não jogava com tanta confiança como mostrou ao derrotar o Atlético-PR por 4 a 0, neste sábado (14/5) no Allianz Parque diante de 33.629 torcedores, na estreia no Campeonato Brasileiro. Uma exibição de quem pensa em ir longe neste Brasileirão 2016. Se seguir nessa toada, pode reivindicar o título de campeão.

Sem entrar no mérito de ser o primeiro jogo e o adversário não estar entre o grupo de elite, a vitória indica um caminho, como Cuca havia previsto nas semanas de treinamentos. Esse Palmeiras vai ser envolvente, de muita troca de funções no meio-campo e no ataque, e posse de bola sem trégua ao adversário.

Cabe destacar alguns pontos importantes que levaram o time a vencer o Furacão do Paraná:

Troca de funções – Deu muito certo a constante alternância de papel entre o estreante Tchê Tchê e Jean. Os dois se revezaram os 90 minutos entre a lateral-direita e o segundo volante, na hora de marcar e na hora de sair para jogo. Tchê Tchê fez o que estava acostumado a fazer no Audax e se deu muito bem.

Velocidade na transição – Cleiton Xavier comandou as ações no meio quando a bola vinha dos volantes. Fez o papel de meia, com precisão no momento de acionar os atacantes. Teve boa companhia de Tchê Tchê para dar velocidade na transição da defesa ao ataque.

Ataque rápido – Gabriel Jesus, 19 anos, e Roger Guedes, 19 anos, cada um aberto numa ponta, mostraram que a linha de frente do Palmeiras é daquelas de um piscar o olho e chegar na cara do gol. Apareceram com força e volúpia, às vezes até com a improvisação, e foram bem na recomposição do time quando o adversário teve a posse de bola.

A diferença – Em times que se credenciam a buscar o título, o craque tem de fazer a diferença. No caso do Palmeiras, o garoto Gabriel Jesus não desafinou. Fez dois gols, deu assistência para mais um e amarelou a defesa do Atlético-PR. Deve ser a referência do Palmeiras neste campeonato.

O JOGO

Desde o início, o Palmeiras foi soberano. Se impôs com a posse de bola, troca rápida de passes, e chegada ao ataque usando as pontas. Aos 18 minutos, Roger Guedes fez o primeiro em passe de Jesus. Fernando Prass não foi acionado.

No segundo tempo, o time de Cuca virou uma avalanche para cima do Atlético. Com 18 segundos, Gabriel Jesus fez o segundo, em bela trama com Barrios e Cleiton Xavier. Aos 7 minutos, fez o terceiro com o zagueiro Thiago Martins, em jogada ensaiada na cobrança de escanteio.

Com 3 a 0 nas costas o Atlético sentiu o golpe e ficou grogue com a expulsão do lateral Leo, aos 18. E não mais reagiu. Prass continuou como espectador privilegiado do jogo. Com o adversário imobilizado, aumentou a posse de bola e fechou a conta com o quarto gol, outra vez com Jesus, aos 41, em uma combinação de Alecsandro com Rafael Marques.

Palmeiras mostra força e pede passagem no Brasileirão 2016

Gols: Roger Guedes, aos 18 minutos 1ºT; Gabriel Jesus, aos 18 segundos, Thiago Martins, aos 6 minutos, e Gabriel Jesus, aos 41 do 2ºT.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Tchê Tchê, Thiago Martins, Vitor Hugo e Egídio; Matheus Sales, Jean e Cleiton Xavier (Moisés); Roger Guedes (Rafael Marques), Gabriel Jesus e Lucas Barrios (Alecsandro). Técnico: Cuca

ATLÉTICO-PR: Heverton; Léo, Paulo André, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Jadson (Hernani) e Vinícius (Pablo); Ewandro, Nikão e Walter. Técnico: Paulo Autuori

Juiz: Bruno Arleu de Araujo (RJ)
Público: 33.629 presentes
Renda: R$ 2.078.159,34
Cartões amarelos: Lucas Barrios, Léo, Paulo André, Walter e Nikão
Cartão vermelho: Léo
Local: Allianz Parque

Anúncios