São Paulo dos garotos despacha o medíocre Botafogo

 

8k1a6710
Lucas Fernandes deixa sua marca na vitória contra o Botafogo

Reservas do São Paulo deram ao treinador argentino Edgardo Bauza um alento sobre o futuro do time no Campeonato Brasileiro. Não jogaram um bolão, de encantar serpentes, mas mostraram disposição e muita valentia na vitória por 1 a 0 contra o Botafogo neste domingo. Quanto ao adversário, de volta à Série A, era melhor nem ter subido de divisão.

A partida não deve ficar registrada entre as grandes do Brasileirão. Antes mesmo de começar, o jogo marcou o primeiro conflito de torcedores – com direito a bala de borracha, gás pimenta, pancadaria – fora do estádio.

Com bola rolando, o primeiro tempo deu nos nervos de quem gosta de um bom futebol. Gramado ruim, dois times desprovidos de talento e muito suor sem nenhuma inteligência marcaram os 45 minutos iniciais com a vitória parcial do São Paulo por 1 a o contra o Botafogo, no acanhado estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda.

Sem nenhum titular em campo e com algumas improvisações, como a do zagueiro Lucão na função de volante, Edgardo Bauza armou seu time para defender com os dentes e fulminar o Botafogo com a velocidade de Centurión e Wilder nas pontas – sempre em busca do centroavante Alan Kardec. Na armação apenas o garoto Lucas Fernandes.

Dentro do que tinha à disposição, Bauza foi coerente. Mas, não há como negar, não era um time agradável de se ver jogar. Não fosse pela precisão de Lucas Fernandes na cobrança de falta e a generosa colaboração do goleiro Helton Leite, o gol não teria brotado na grama seca do Raulino ainda no primeiro tempo.

Do lado do Botafogo, sua torcida vai comer poeira neste Brasileirão 2016. De volta à Série A, o time carioca mostrou alguma organização e ficou nisso. O quarteto de meio-campo, com três volantes (Lindoso, Bruno Silva e Fernandes) e um meia (Leandrinho), não chamou atenção nem mesmo do mais fanático botafoguense.

Deu pena ver um Botafogo sem força e sem perspectiva logo na estreia no Brasileirão.

No segundo tempo, o São Paulo se fechou ainda mais. Amontoou um punhado de jogadores à frente da grande área e jogou por mais uma bola nos pés do garoto Lucas Fernandes. Como não deu certo, Bauza mandou Thiago Mendes e Kelvin nos lugares de Banguela e Wilder. Não vingou.

Ricardo Gomes trocou três peças, do intervalo até os 23 minutos, lançando três atacantes – Sassá, Salgueiro e Anderson Aquino. E aí ficou ainda mais claro o quanto esse Botafogo não tem um elenco qualificado. O trio entrou e não aconteceu nada. Aliás, aconteceu sim. O time da Estrela Solitária estreou com derrota em casa. Triste recomeço.

BOTAFOGO 0 X 1 SÃO PAULO

Gol: Lucas Fernandes, aos 21 do 1ºT

São Paulo: Renan Ribeiro, Auro, Lugano, Lyanco e Matheus Reis; Banguela (Thiago Mendes), Lucão, Lucas Fernandes (Rogério); Wilder (Kelvin), Alan Kardec e Centurión. Técnico : Edgardo Bauza.

Botafogo: Helton Leite, Luis Ricardo, Renan Fonseca, Emerson Silva, Victor Luis; Lindoso, Bruno Silva (Salgueiro), Fernandes e Leandrinho (Anderson Aquino); Neílton (Sassá) e Ribamar. Técnico: Ricardo Gomes.

Juiz: Braulio da Silva Machado
Cartões amarelos: Matheus Reis, Leandrinho, Banguela, Thiago Mendes, Lucas Fernandes, Wilder,
Local: Raulino de Oliveira, Volta Redonda.

Anúncios