São Paulo encontra seu caminho, Palmeiras perde o rumo

ganso-gol-sp-x-palmeiras-1

O São Paulo deu mais uma prova de sua ambição nesta temporada. Depois do salto gigantesco na Libertadores, quando passou de desacreditado a postulante ao título, começa a mostrar autoridade no Campeonato Brasileiro. Deixou isso bem claro ao derrotar o Palmeiras por 1 a 0 no clássico no Morumbi, neste domingo (29/5).

Sofreu, é verdade, até Ganso fazer o gol, aos 11 minutos, em pixotada do jovem zagueiro Thiago Martins. Aliás, o beque forjado nas categorias de base tem passado apertado nos últimos jogos com falhas comprometedoras.

Ao estabelecer 1 a 0, o São Paulo teve o controle da partida até o encerramento do primeiro tempo. No segundo, também suou um pouco no começo com as investidas do novo ataque do Palmeiras, que tinha Rafael Marques, e o meia Moisés.

Passado o susto, se impôs novamente e encurralou o adversário. Obrigou Fernando Prass a se consagrar com pelo menos quatro defesas impeditivas de uma goleada no Morumbi. Mas fechou o jogo com a vitória magrinha.

O triunfo, sustentando um tabu de não perder para o Palmeiras desde 2002 no Morumbi, explica também como o São Paulo está mais organizado com os arranjos de Edgardo Bauza. Se seguir nessa toada, tem tudo para se consolidar entre os que pensam grande neste Brasileirão.

Dentro desse ambiente de otimismo, Bauza até gostou do bate-boca, quase vias de fato, entre Maicon e Rogério. “Me encanta que estejam ‘peleando’. Gosto Muito. Quer dizer que tenho jogadores que querem ganhar.”

PALMEIRAS
Do lado do time de Cuca, alguns problemas se repetem. Depois de passar mais de 20 dias se preparando para o campeonato, nos segmentos técnico e físico, o treinador já tem Barrios, Cleiton Xavier e Egidio no estaleiro. Sem falar em Edu Dracena, que não estreou no Brasileirão.

Sem Cleiton, machucado, e Moisés ainda sem condições de atuar 90 minutos, o treinador cometeu o mesmo equívoco de Marcelo Oliveira ao escalar Dudu como articulador do time. Dudu errou quase tudo no clássico e armou um sem número de contra-ataques do São Paulo. Ele não sabe armar.

imagesCuca disse após o jogo que vai transformar Moisés no meia de criação que o Palmeiras não tem quando Cleiton Xavier não joga. O treinador também precisa criar coragem e lançar Vitinho, de 18 anos, para pegar traquejo e ajudar na articulação.

 

Uma outra questão: quando Fabiano e Fabrício vão estrear? Os dois poderiam ter tido uma chance no clássico, até pela estatura. Dariam dor de cabeça a Maicon e Lugano.

Opções para dar ao time uma regularidade neste início de Brasileirão, Cuca tem de sobra. É preciso não inventar.

 

Anúncios