Alemanha avança às oitavas da Eurocopa em crise de identidade com o gol

607466503_CM_1158_8AD8909F0006496BCC523508F2AB7992_3341
Mario Gomez, autor do gol da Alemanha

euro_2016_logo_detailAlemães não entendem como um time arregaça defesas dos adversários, cria uma oportunidade atrás da outra e vence por apenas 1 a 0. A história se repetiu nesta terça-feira (21/6) na vitória por 1 a 0 contra a Irlanda do Norte, resultado que leva aos alemães às oitavas de final da Euro-2016. A seleção dos 7 a 1 na Copa de 2014 vive uma crise de identidade com os gols.

Se você pegar o primeiro tempo desta partida no Parque dos Príncipes em Paris vai observar que Alemanha triturou a Irlanda do Norte. Fez quase tudo do que se espera de uma seleção tetracampeã do mundo. Coletiva, quando o jogo exigiu, criativa na troca de passes em busca do gol e segura. Absoluta.

Só os alemães jogaram bola. Desde os minutos iniciais empurraram os norte-irlandeses para dentro da sua área. Carimbaram a trave por duas vezes, com Thomas Muller, até sair o gol de Mario Gomez, aos 28, em boa trama com Ozil e Muller.

607466503_CM_5134_DAC5A7B9366C2B51041A1535ED795166_3341

Gol solitário que não traduziu o amplo domínio alemão, time armado no 4-2-3-1 por Joachim Low. Um esquema que privilegia a saída de bola do correto Khedira e do extraordinário Toni Kross. Cumpriram com rigor a máxima de que a bola que sai redonda da zona de criação chega mais redonda ainda na zona de gol.

Do lado da Irlanda do Norte, apenas o reconhecimento da superioridade do adversário. Se fechou com tudo o que tem direito à espera de um milagre. De espetacular, o show de sua torcida cantando a música em homenagem ao atacante Will Grigg, reserva do time, mas de muito carisma entre os norte-irlandeses. Detalhe, ele joga no Wigan, na Segunda Divisão da Inglaterra.

3500
Norte-irlandeses queriam Will Grigg’s no jogo, mas o ídolo não entrou

No segundo tempo, Alemanha começou intensa. Teve chances de ampliar com Gotze, mas vacilou nas finalizações. A partir dos 15 minutos, diminuiu o volume do jogo. Cedeu terreno e assumiu a burocracia.

Low trocou Gotze por Schurrle. Depois, Khedira por Schweinsteiger em busca de mais animação e eficiência. Os campeões do mundo voltaram a controlar a partida, sem empolgar, tocando o barco até o fim.

A Irlanda do Norte bem que pensou em reivindicar algo mais, mas esbarrou na falta de repertório. No futebol, nem sempre boa vontade e entrega resolvem os problemas de um time. Valeu pela festa de sua simpática torcida.

Ainda no Grupo C, a Polônia se classificou em segundo lugar ao derrotar a Ucrânia por 1 a 0, gol de Biaszczykowski. Os ucranianos não marcaram nenhum gol em três jogos na Eurocopa 2016. Ridículo.

607129179_LB_6602_E84B41B69968D8B027732CDCD94240B8_3348
Biaszczykowski celebra  gol da vitória polonese contra a Ucrânia

CLASSIFICADOS NOS OUTROS GRUPOS
França, Suíça, Inglaterra e País de Gales avançaram em seus grupos às oitavas de final. Destaque para os galeses, que escreveram um capítulo definitivo ao passar de fase em uma competição internacional de peso desde a Copa do Mundo de 1958 na Suécia.

607467709_DM_9932_3621B2059E3848DE8081A7BFD0633A58_3328
Gareth Bale comemora classificação de País de Gales

Quem fez história para valer foi Sadiku, autor do primeiro gol da Albânia em um torneio de expressão como a Eurocopa. Gol que deu a vitória por 1 a 0 contra a Romênia.

“Tenho certeza que demos uma grande alegria aos torcedores albaneses. Não apenas aos que estão na Albânia, mas aos albaneses que vivem por todo o mundo. Onde quer que vamos, encontramos sempre pessoas que nos querem apoiar e mostrar gratidão pelo que fazemos. Hoje tivemos o que nos faltou nos dois primeiros jogos, é preciso marcar para vencer”, disse o italiano De Biasi, treinador da seleção da Albânia.

607758759_JF_9593_098387FB9F4C83CB41F8D335B95653B6_3314-1
Albaneses em êxtase com o triunfo diante da Romênia

Veja a classificação nos grupos com jogos da primeira fase encerrados

CLASSA_20160619_213944

GrupoB_

GrupoC

Anúncios