Itália e Espanha avançam na Eurocopa e Croácia sofre com imbecis das arquibancadas

 

4421

euro_2016_logo_detailA imbecilidade derrota a Eurocopa nas duas primeiras rodadas. Das batalhas sangrentas entre hooligans de todos os cantos, com mais veemência por parte de ingleses e russos, aos sinalizadores dos croatas atirados no campo, sobra pouco a se comemorar na França nesta semana de um jogo atrás do outro.

Não fosse pelos recitais de Iniesta na Espanha, a fome de bola de Payet na França, a alegria criança do velho Buffon com sua Itália, Gareth Bale em busca da história de País de Gales e os estádios abarrotados, a Euro teria sido uma decepção até aqui.

No caso do futebol, poucas seleções deram cores ao jogo. Uma delas tem sido a Espanha que nesta sexta-feira colocou a Turquia no seu devido lugar com a contundente vitória sem cerimônia por 3 a 0.

3801

Bicampeã das últimas duas edições (2008 e 2012) da Euro, a seleção espanhola não teve muito trabalho diante dos lutadores turcos. Abriu dois gols no primeiro tempo, com Nolito e Morata, e concluiu a obra sem muito esforço com mais um gol no segundo tempo, outro do atacante Morata, consolidando a vitória mais elástica até aqui do torneio.

Nem é preciso falar que tudo girou na órbita de Iniesta, com Fàbregas ali reivindicado luz própria. A seguir nessa toada, os espanhóis vão chegar fortes na briga pelo tri.

Na terceira rodada, fechando a primeira fase, a Espanha se encontra com a Croácia, outra seleção de muitos dotes.

IMBECIS DE PLANTÃO

2325

Croatas poderiam desfrutar desse jogo com mais tranquilidade porque poderiam estar classificados não fosse por um descuido no campo e a boçalidade de parte de sua torcida nas arquibancadas na partida contra a República Checa.

Sem muito esforço, a Croácia vencia os checos por 2 a 0  – gols de Perisic e Rakitic – até os minutos finais da partida. Era superior em todos os aspectos. Quando perdeu Modric, com lesão na coxa, o time amoleceu e encorajou o adversário.

Skoda diminui a desvantagem dando sinais de que os checos queriam mais. Foi aí que a imbecilidade estendeu seu manto. Torcedores croatas, localizados atrás do gol de Cech, arremessaram pelo menos seis sinalizadores acesos no campo, um deles chegou a explodir quase na mão de um funcionário, que recolhia os bastonetes fumegantes.

O jogo ficou paralisado por cerca de seis minutos. Na volta, Necid empatou em cobrança de pênalti cometido por Vida. A Croácia caía golpeada pela sua própria gente. E agora vai ter de especular com a Espanha sua vaga à segunda fase. Detalhe, Modric, o Iniesta dos croatas, corre risco de não jogar.

“Podemos ser punidos. Pedimos perdão. Se trata de terroristas do esporte, que não representam a torcida croata. Fazem o que dão na cabeça. Em San Siro, atiraram sinalizadores no campo. Abriram uma bandeira com símbolo nazista no esteado Hadjuk. Destroem tudo o que tocam”, disse Ante Cacic, técnico da seleção croata.

Neste sábado, a Uefa deve anunciar as providências e prováveis punições contra a Croácia e e parte de sua torcida.

QUANDO A ITÁLIA É MAIS ITÁLIA
Numa das partidas mais fracas dessa primeira fase da Euro, a Itália despachou a Suécia de Ibrahimovic por 1 a 0 nesta sexta-feira. No aspecto técnico, o jogo não existiu.

Italy v Sweden - Group E - UEFA Euro 2016
Eder, autor do gol da Itália contra a Suécia

A seleção sueca é um monte de camisas amarelas vazias vagando ao sabor do vento. Incapaz de trocar passes e reivindicar algo mais em busca de um gol. Ibrahimovic? A tradução do tédio e a sensação de que está na Eurocopa por obrigação, sem um pingo de prazer.

Do lado da Itália, o reconhecimento de suas limitações é evidente. Por isso, se fortalece na defesa e adota a tática dos zagueiros lançando os atacantes atrás de uma surpresa ao inimigo. Não há transição normal de um campo a outro, a não ser bolas esticadas.

Com essa postura, se destaca quem não se entrega. No caso deste jogo, coube ao brasileiro Eder, naturalizado italiano, o primeiro gol da Azzurra. Fiel às suas origens, o atacante  catarinense da Inter de Milão costurou alguns suecos até bater para o gol, nos estertores da partida. Gol da classificação da Itália, dona de duas vitórias em duas rodadas.