Gabriel Jesus leva Palmeiras a vencer o América-MG e encanta emissário do Barcelona

622_4eaa575f-d5bb-3f1a-acd1-28e818b30c11

Barcelona e Palmeiras não escondem mais a negociação de Gabriel Jesus. O clube espanhol quer o craque do Palmeiras a qualquer preço. Não por acaso Raul Sanllehí, homem das compras do Barça, se deixou mostrar nos camarotes do Allianz Parque nesta noite de terça-feira (21/6) durante o jogo em que Gabriel Jesus fez dois gols na vitória por 2 a 0 contra o América-MG, em partida isolada da 10.ª rodada do Brasileirão.

Se Raul, em nome do Barcelona, tinha alguma dúvida do futebol de Jesus, depois da exibição do menino não deve ter ficado com nenhuma ponta de desconfiança. Mais que os dois gols, o garoto mostrou personalidade como se espera de um jogador com ambição de ir embora para o futebol europeu.

“Se eu fosse o pai dele (Gabriel Jesus) não deixava ele ir agora. Se for agora não vai jogar no Barcelona. Vai jogar no lugar de quem no Barcelona? É melhor ficar aqui com a gente”, disse Cuca

Jesus também pode dividir seus méritos na partida com Roger Guedes, de 19 anos, um leão faminto e com recursos acima da média. Guedes fez tudo certo e mais um pouco.

ANÁLISE DO JOGO

O primeiro tempo foi de Gabriel Jesus, autor de dois gols em jogadas de muito treinamento do Palmeiras. Conta aí a expressiva participação de Roger Guedes, atuando como um ponta-direita dos tempos românticos do futebol brasileiro.

Aliás, esse Palmeiras de Cuca joga no modelo dos bons tempos do Brasil. O seu 4-3-3 é ofensivo, vertical, de troca de passes. Três meio-campistas – Tchê Tchê, Moisés e Cleiton Xavier – atuando como meias e volantes. Não se tem um gladiador na frente da zaga. A marcação é solidária, coletiva.

Sistema que poderia ser mais efetivo ainda não fosse alguns desvios de função na marcação. Em alguns momentos, Edu Dracena e Vitor Hugo ficaram órfãos. Outro probleminha, o pânico no jogo aéreo – nada comprometedor neste primeiro tempo.

Se lá atrás ainda faltam ajustes, do meio para frente as coisas têm funcionado muito bem. No esquema de Cuca, o tridente Roger Guedes, Jesus e Dudu é um tormento constante aos zagueiros do adversários. Os três chegam rápido, com bons recursos. E contam com suporte precioso dos meias e até dos laterais.

Há muita confiança nas triangulações ofensivas ensaiadas por Cuca, em especial pelas beiradas do campo. De duas dessas jogadas nasceram os dois gols de Gabriel Jesus.

roger-guedes-domina-a-bola-durante-a-partida-entre-palmeiras-e-america-mg-1466560880372_615x300-1

No segundo tempo, o América saiu um pouco do seu campo para mostrar que estava presente no Allianz Parque. Não intimidou. O Palmeiras, depois de dez minutos, reassumiu o controle do jogo.

Roger Guedes virou um espeto pela direita. Dali criou pelo menos umas quatro boas oportunidades de gol, que pararam nas precisas intervenções do goleiro João Ricardo.

O time de Cuca estava absoluto na partida. Tão dono da situação a ponto de o treinador trocar Cleiton Xavier pelo garoto Vitinho, 18 anos, criado nas categorias de base. Era a estreia do menino. Vitinho fez alguns ensaios, nada de extraordinário.

Nem era preciso Vitinho mostrar serviço, o Palmeiras já havia consolidado a sétima vitória e a liderança isolada do Brasileirão, com 22 pontos. O clube agora tem de se preocupar com o Barcelona, pronto para levar Gabriel Jesus na janela de transferência em agosto.

FICHA DO JOGO

Palmeiras 2 x 0 América-MG

Gols: Gabriel Jesus, aos 18 e 26 minutos do primeiro tempo

Palmeiras: Fernando Prass, Jean (Fabiano), Edu Dracena, Vitor Hugo e Egídio (Zé Roberto); Tchê Tchê, Cleiton Xavier (Vitinho) e Moisés; Roger Guedes, Gabriel Jesus e Dudu. Técnico: Cuca

América-MG: João Ricardo, Helder, Artur, Adalberto e Danilo Fernandes (Savio); Leandro Guerreiro, Juninho, Ernandes e Eduardo (Vitor Rangel); Osman e Borges (Alan Mineiro).  Técnico: Sergio Vieira

Juiz: Péricles Bassols
Renda: R$ 1.543.520,80
Público: 27.429 pagantes
Local: Allianz Parque

Anúncios