São Paulo segue cartilha dos que lutam contra rebaixamento e vence a Ponte Preta

pro-21

São Paulo seguiu muito bem o roteiro de um time que luta contra o rebaixamento. Reduziu preço do ingresso, chamou sua torcida ao Morumbi a embalar o time contra a Ponte Preta e não se entregou do começo ao fim em busca dos preciosos três pontos. Ao final da partida, a recompensa ao ser aplaudido por quase 50 mil torcedores após a expressiva vitória por 2 a 0 e um degrau a mais longe da zona da degola do Brasileirão.

Primeiro tempo do São Paulo se resumiu à muita dedicação e ao gol de Cueva em cobrança de pênalti, aos 11 minutos. Havia um esforço absurdo para retomar a bola e pouca inteligência na hora da transição ao ataque. Na maioria das vezes a pressa se fez inimiga do ataque. De bom apenas, as investidas pelo setor esquerdo com a dobradinha Mena e Kelvin. Dali nasceu o pênalti salvador.

pro6-19Se na linha de frente a construção não tinha bom alicerce, na marcação o time também cometeu alguns suicídios. Não entendeu o que deveria fazer para bloquear a saída de bola da Ponte, sempre bem coordenada e rápida à procura de Clayson e Roger. Por isso, o setor defensivo sofreu à beça e por muito pouco não cedeu o empate. Wesley na lateral-direita e Lyanco na zaga convidavam Clayson e Roger à festa. Os dois recusaram ao convite.

No segundo tempo, Roger ficou no vestiário. Potker entrou no seu lugar. A Ponte não cresceu. E o São Paulo se reorganizou. Cueva passou a coordenar a saída de bola e alimentar David Neres e Kelvin. Faltava Pedro entrar no jogo. Não conseguiu. Então a torcida pediu por Chávez, aos 15 minutos. Ricardo Gomes atendeu ao chamamento da arquibancada e lançou o atacante argentino às feras.

Chávez não conseguia fazer da água o vinho. O segundo gol definitivo não saía. Bom para o time de Campinas, que saiu em busca do empate. Reinaldo perdeu um gol e Potker desperdiçou uma chance imperdível. Quem não marca é castigado. E a conta chegou aos 37 minutos, David Neres aproveitou um rebote e carimbou a rede pela primeira vez como profissional do Tricolor. Era o selo da vitória do Tricolor.

Dois jogos, seis pontos. E a confirmação de uma recuperação até então improvável. São Paulo já tira a cruz das costas e ameniza seu calvário.

FICHA DO JOGO

São Paulo 2 x o Ponte Preta

Gols: Cueva, aos 11 minutos do primeiro tempo. David Neres, aos 37 minutos do segundo tempo.

São Paulo: Denis, Wesley, Lyanco, Rodrigo Caio e Mena; João Schimidt, Thiago Mendes e Cueva; David Neres (Wellington), Pedro (Chávez) e Kelvin (Luiz Araújo). Técnico: Ricardo Gomes

Ponte Preta: Aranha, Nino Paraíba, Antônio Carlos, Fabio Ferreira e Reinaldo; João Vitor, Wendel (Thiago Galhardo), Clayson (Felipe Azevedo) e Maycon; Rhayner e Roger (Potker). Técnico: Eduardo Baptista

Juiz: Marcelo de Lima Henrique
Cartão amarelo: Roger
Renda: R$ 600.541,00
Público: 49.673 pagantes
Local: Morumbi

Anúncios