São Paulo tem mais um prejuízo com o argentino Calleri

20160619163604_1

Calleri não tem salvo-conduto para fazer o que bem entende no São Paulo. De nada adianta fazer dois gols e depois deixar o time na mão, quase o segundo tempo inteiro, como fez no empate (2 a 2) com o Flamengo neste domingo (19/6).

Sorte de Calleri é que Alan Patrick errou o pênalti, a dois minutos do encerramento do jogo. Se tivesse convertido, a vitória seria do time carioca e a cobrança seria com mão pesada para cima do atacante argentino.

Indomável na briga pelos gols, é um irresponsável ao desafiar os árbitros, quando não os adversários. Já deixou o São Paulo a pé na Copa Libertadores ao ser expulso em uma confusão com jogadores do The Strongest.

Eduardo Bauza, argentino como Calleri, entende que seu pupilo precisa de um corretivo. Por isso, promete chamar o rapaz à responsabilidade. O treinador tem consciência de que não pode chegar nas semifinais da Libertadores com seu artilheiro vítima da pilha de nervos.

Calleri, 22 anos, poderia ter feito a diferença a favor do São Paulo na partida contra o Flamengo. A estratégia do contra-ataque articulada por Bauza tinha como ponto final o goleador argentino.

Funcionou quando ele fez o primeiro gol do Tricolor em contragolpe articulado por Ganso – jogadores do Fla reclamam de falta em Márcio Araújo neste lance. E também no segundo gol ao vencer a zaga carioca no alto para marcar um belo gol de cabeça em cruzamento de Kelvin.

“C… só porque sou argentino, você me expulsa. É uma vergonha”, disse Calleri ao juiz.

Quando ele foi expulso, aos 23 minutos do segundo tempo, por insistentes reclamações contra o árbitro, o São Paulo já sofria um aperto absurdo do Flamengo, que havia empatado a partida aos 14 minutos, com William Arão – o primeiro foi de Rodrigo Caio (contra).

maxresdefaultE apertado ficou até os minutos finais do jogo quando Maicon fez pênalti em Emerson Sheik. Alan Patrick bateu e chutou para fora. Ridícula cobrança.

O empate mostra que o São Paulo ainda tem algumas deficiências defensivas e uma dependência de Calleri no ataque. É preciso algo mais se a meta é a Libertadores.

FICHA TÉCNICA

Flamengo 2 x 2 São Paulo

Gols: Calleri, aos 11; e Rodrigo Caio (contra), aos 22 minutos do primeiro tempo; Calleri, aos 6: e William Arão, aos 14 minutos do segundo tempo.

Flamengo: Alex Muralha, Rodnei, Réver, Rafael Vaz e Jorge; Márcio Araújo, William Arão, Everton (Fernandinho) e Alan Patrick; Marcelo Cirino (Gabriel) e Felipe Vizeu (Emerson Sheik). Técnico: Zé Ricardo

São Paulo: Denis, Bruno (Alan Kardec), Maicon Rodrigo Caio e Matheus Reis; Artur, João Schmidt, Kelvin (Caramelo), Ganso (Ytalo) e Michel Bastos; Calleri. Técnico: Edgardo Bauza.

Juiz: Elmo Cunha (GO)
Renda e público: não divulgados
Cartões amarelos: Cirino, Kelvin, Calleri e Caramelo
Cartão vermelho: Calleri
Local: Mané Garrincha (Brasília)

Anúncios