São Paulo vence Fluminense e vive drama com lesão de Ganso

pro15-2
Ganso vive drama com lesão na coxa direita

São Paulo teria tudo para fechar a noite desta quarta-feira (29/6) fortalecido para o jogo da semana que vem contra o Atlético Nacional na Copa Libertadores. Venceu o Fluminense por 2 a 1, se reconciliou com sua gente no Morumbi, consagrou Maicon, agora jogador do Tricolor por 6 milhões de euros, e Kardec desencantou após 17 jogos sem fazer um gol. Perfeito. Mas Paulo Henrique Ganso saiu mancando com dores na coxa. E quando Ganso se machuca, o Tricolor estremece.

A situação de Ganso deve ser esclarecida nesta quinta-feira, após exames mais aprofundados. O certo é que ele estava protegido do desgaste, sem entrar em todos jogos nas últimas rodadas. Não se sabe os motivos que levaram Edgardo Bauza a chamar o meia para entrar antes dos 20 minutos do segundo tempo quando o São Paulo vencia o Flu por 2 a 1, sem razão para jogar Ganso aos leões.

Se o craque for alijado do jogo da Libertadores, alguém vai pagar a conta no Morumbi.

Na coletiva de imprensa, Bauza soltou fogo pelas ventas, irritado com perguntas sobre a condição de Ganso. Na saída do campo, o jogador sussurrou: “Tô fora.” Enigma.

Veja o que disse José Sanches,  médico do São Paulo, sobre a lesão de Ganso:

“A situação do Ganso preocupa para quarta-feira. Vamos esperar o exame. Situações de estiramento, contratura, provocam dores agudas. Mas sempre digo que é melhor esperar os exames. A expectativa que a gente tem é de estiramento”

pro17-2

ANÁLISE DO JOGO

Um gol no início do jogo muda tudo. Arrebenta quem sofre e fortalece quem marca. O São Paulo se deu bem diante do Fluminense. Se no domingo havia saído em desvantagem, com menos de um minuto no clássico contra o Santos, nesta quarta-feira (29/6) a vantagem esteve do seu lado.

Com dois minutos, João Schimidt fez o primeiro gol, em uma boa trama na cobrança de escanteio. Depois disso, estendeu seu império nos 45 minutos. Nem se esforçou para tanto. Seu adversário, talvez atordoado com o golpe que levou logo de cara, não tinha ideias claras nem gente qualificada para absorver a pancada, se levantar e seguir em frente.

pro1-6

Bom para o São Paulo. Trocou passes do meio para frente, abriu bem as investidas ao ataque com Michel Bastos na esquerda, tendo o estreante Cueva ao seu lado como coadjuvante, e Centurión na direita. Se o argentino tivesse um pouquinho da malícia de Bastos, o Tricolor teria conferido mais gols.

Conseguiu mais um, é verdade, com Michel Bastos cruzando certeiro até Alan Kardec (fotos abaixo), de cabeça, marcar aos 40: 2 a 0. Há 17 jogos Kardec não carimbava um gol. Ele tem sido banco de Calleri.

Quer saber? A desvantagem de dois gols ficou de bom tamanho para o Flu, um time que jogava tudo nas costas de Gustavo Scarpa.

No segundo tempo, Levir Culpi voltou com o meia Dudu no lugar do limitado Edson e Osvaldo na vaga do garoto Maranhão. As mudanças mobilizaram o time carioca, que passou a jogar com mais velocidade na saída ao ataque. De uma investida, conseguiu um pênalti inocente de Schimidt, que interceptou com a mão cabeçada de Henrique. Cícero bateu e converteu.

O gol do Flu mexeu com Bauza. Era preciso dar mais autoridade ao seu time, sob pena de ceder o empate. Mandou Ganso a campo no lugar de Bastos e deslocou Cueva na ponta-esquerda. Não mudou o curso do rio. E ainda corria o risco de desgastar Ganso, poupado nos últimos jogos por sentir dores na coxa direita.

Mais objetivo, agora sim com ideias mais claras, o time carioca investiu no setor esquerdo com Osvaldo e Scarpa, que deram trabalho a Maicon. Aliás o zagueiro, fortalecido ao ser comprado pelo São Paulo do Porto, passou a abusar dos músculos. Cometeu um pênalti em Osvaldo, ignorado por Daronco, aos 30. Em seguida, em outro lance, levou amarelo por excesso de força bruta.

pro4-7
Macio, zagueiro de 6 milhões de euros, assume condição de xerife

Quando o jogo se encaminhava para acabar com uma vitória tranquila do São Paulo, o pânico tomou conta do Morumbi. Ganso disputou uma bola e colocou a mão na coxa direita. De imediato pediu substituição sem se lembrar que Bauza havia queimado as três.

Drama. Não pelo resultado em si, mas sim para a próxima quarta-feira no jogo das semifinais da Libertadores contra o Atlético Nacional de Medellín. O jogo correu por mais dez minutos sem risco ao São Paulo. A vitória estava assegurada. Resta saber o tamanho do estrago se Ganso não puder jogar semana que vem.

FICHA DO JOGO

São Paulo 2 x 1 Fluminense

Gols: João Schimidt, aos 2; Alan Kardec, aos 40 minutos do primeiro tempo; Cícero, aos 7 minutos do segundo tempo.

São Paulo: Denis, Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Carlinhos (Mateus Reis); João Schimidt, Thiago Mendes, Cueva; Centuríon (Ytalo), Alan Kardec e Michel Bastos (Ganso). Técnico: Edgardo Bauza

Fluminense: Diego Cavalieri, Wellington Silva, Gun, Henrique e Giovanni; Douglas, Edson (Dudu), Cícero e Gustavo Scarpa; Magno Alves (Richarlisson)  e Maranhão (Osvaldo). Técnico: Levir Culpi

Juiz: Anderson Daronco
Cartões amarelos: Ganso, Giovanni, Maicon
Renda: R$ 204.246,00
Público: 10.323 pagantes
Local: Morumbi

Anúncios