Contra fracasso na Olimpíada, Gabriel Jesus precisa da solidariedade de Neymar e Gabigol

960

Dois jogos na Olimpíada, nenhum gol. Gabriel Jesus, de 19 anos, vive maior desafio de sua ainda curta carreira de jogador profissional. No Palmeiras, é o artilheiro do Campeonato Brasileiro com dez gols. Na Seleção Olímpica deixa de ser unanimidade, recebe vaias e, a exemplo dos parceiros de ataque, não se encaixa no time. E corre risco de perder lugar na seleção no jogo decisivo contra a Dinamarca. O que se passa com Jesus?

Veja a resposta do garoto após o empate por 0 a 0 contra o Iraque neste domingo quando questionado se a transferência ao Manchester City, por R$ 120 milhões, é a principal causa da baixa de rendimento nos Jogos do Rio:

“Não tem isso comigo não. Já joguei na várzea, não me atrapalha em nada. Não é agora, que uma coisa boa (venda ao City) veio pra mim, que vai atrapalhar. Quando eu estava no Palmeiras fazendo gols você (jornalista) não me perguntava isso. Não estou fazendo gol porque não estou fazendo gol… É como em outra profissão, tem dia que você não está bem e não faz o seu melhor” disse Jesus na zona mista do estádio Mané Garrincha.

Anúncios