Palmeiras não vai se indispor com CBF por causa do drama de Fernando Prass

prass

Fernando Prass seria o líder da Seleção Olímpica a dividir com Neymar a responsabilidade de comandar os meninos na busca do ouro. Seria também avaliado por Tite na Olimpíada do Rio, com boas possibilidades de ser o goleiro da seleção principal nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. O cotovelo direito fraturado acaba com esse sonho.

O goleiro do Palmeiras corre risco, segundo informações nesta noite de sábado (29/7), de passar por nova cirurgia e só voltar a jogar em 2017.

Aos 38 anos, Prass nunca havia sido chamado para servir a Seleção Brasileira. Ganhou a chance agora como um dos três jogadores acima dos 23 anos no grupo montado por Rogerio Micale. E, a depender da gravidade dessa nova fratura no cotovelo operado em 2014, dificilmente voltará vestir a camisa da seleção.

Fica sem a Olimpíada, se exclui do projeto de Tite e, por tabela, perde uma grande oportunidade de ser campeão brasileiro com o Palmeiras.

Melhor goleiro do País nas temporadas de 2015 e 2016, Fernando Prass vai ter de conviver com essa dor. Entra para a história daqueles jogadores que teriam lugar na Seleção, mas, por algum capricho ou falta de sorte, jamais vai ter esse privilégio.

Palmeiras e CBF devem informar neste domingo o destino do goleiro. No clube já se admite a necessidade de uma cirurgia, provavelmente nesta terça-feira. A depender do diagnóstico dos médicos, será o fim da linha do goleiro neste segundo semestre de 2016.

Comando do Palmeiras ainda não trabalha com a possibilidade de contratar um goleiro. Wagner, o reserva imediato de Prass, vira titular – jogou na derrota para o Atlético-MG. O segundo goleiro é Joílson, que pouco atuou neste ano.

Por bom entendimento entre Palmeiras e CBF, dificilmente o clube vai pedir uma indenização que seja pela lesão e drama de Fernando Prass. Clubes não costumam comprar briga com a CBF quando cedem jogadores à Seleção e eles voltam machucados.

A preocupação da comissão técnica da Seleção Olímpica é convocar um novo goleiro. De acordo com o regulamento da Olimpíada, a CBF tem até dia 03/8 para providenciar a troca. Estão no páreo Jordi (Vasco), Jean (Bahia) e Alisson (Roma).

Anúncios