Corinthians vê Palmeiras campeão do primeiro turno e não terá vida fácil na segunda parte do Brasileirão

cru

Corinthians se beneficia de erro da arbitragem, cede empate  (1 a 1) ao Cruzeiro e vê o Palmeiras ficar com o título simbólico de campeão do primeiro turno do Brasileirão. A preocupação do seu torcedor nem era fechar na frente do rival e sim enxergar um horizonte mais claro na sequência do campeonato. E o resultado nesta segunda-feira não indica que dias melhores virão. No momento do aperto, se teve nítida a falta de um elenco qualificado à disposição de Cristóvão Borges, chamado de “burro” no Pacaembu ao trocar Romero por Marlone.

Como os dirigentes não reagem, é bem provável que Cristóvão não terá reforços de peso no segundo turno e ainda corre risco de perder Bruno Henrique ao futebol italiano. Assim, vai ter de se virar com o que tem.

ANÁLISE DO JOGO

Corinthians tem de agradecer muito ao árbitro Delson Freitas a vitória parcial no primeiro tempo por 1 a 0. O juiz errou no lance capital quando não deu um pênalti de Cássio em Ábila – nesta falta o goleiro poderia ter sido expulso -, aos 8 minutos. Naquele momento, o time paulista vencia com um gol relâmpago de Giovanni Augusto, aproveitando um rebote da zaga cruzeirense.

Como o árbitro ignorou o pênalti, o Corinthians tocou a sua vida com muita dificuldade. Sofreu com as investidas de Rafael Sóbis e Ábila, ponto final da estratégia de Mano Menezes, que deixou seu time espaçado na hora de atacar. E ainda com vacilos de Bruno Henrique e Elias na proteção da zaga.

20160808224732228_2

Mesmo acossado em boa parte do primeiro tempo, o time paulista também chegou forte na zona de gol. O caminho escolhido foram as investidas com Marquinhos Gabriel, aberto como um velho ponta-esquerda a explorar a enorme dificuldade que o lateral Lucas, ex-Palmeiras, tem na marcação.

Ali do setor esquerdo nasceram os principais ataques corintianos, que só não foram mais agudos por falta de bom manejo da bola por parte de André e Romero. Giovanni Augusto, na função de extrema-direita, também deu trabalho aos cruzeirenses.

Como os dois times não foram decisivos no ataque e o juiz errou no pênalti de Cássio em Ábila, o primeiro tempo acabou com a vitória parcial do Corinthians por 1 a 0.

No segundo tempo, o time de Minas começou em cima do dono da casa. Tirou proveito da atitude covarde de Cristóvão Borges ao firmar sua equipe na defesa à espera de um contra-ataque. Pouco para quem ambicionava fechar o primeiro turno na liderança.

Paciente, sem se precipitar, o Cruzeiro passou a trocar passes e a empurrar ainda mais o adversário ao seu campo  de defesa até que, aos 21 minutos, chegou ao empate em boa trama com Robinho e Sóbis, que acabou na fuzilada de Ábila sem chance para Cássio.

Quando sofreu o empate, Cristóvão Borges obrigou seu time a sair mais. Laterais Fagner e Uendel se soltaram. Elias resolveu descer. Não havia mais o que fazer a não ser arriscar tudo em busca da vitória.

Cristóvão trocou Romero por Marlone. Ouviu “burro, burro” das arquibancadas. Depois de uma reação e com alguns sustos ao visitante, o Corinthians entrou em pânico. Desesperado e sem um pingo de organização, buscou o empate, mas por pouco não sofreu o segundo gol em chute de Sóbis que beliscou o travessão de Cássio.

O empate deixa claro a falta de mais peças qualificadas no elenco do Corinthians e a dificuldade à vista no segundo turno.

FICHA DO JOGO

Corinthians 1 x 1 Cruzeiro

Gols: Giovanni Augusto, 1 minuto do primeiro tempo; Ábila, aos 21 do segundo tempo.

Corinthians: Cássio, Fagner, Yago, Balbuena e Mendel; Bruno Henrique, Elias e Giovanni Augusto (Guilherme) e Marquinhos Gabriel; Romero (Marlone) e André. Técnico: Cristóvão Borges

Cruzeiro: Lucas Fança, Lucas, Manoel, Bruno Rodrigo e Edimar; Ariel Cabral (William) Henrique, Robinho e Arrascaeta (Rafinha); Rafael Sóbis e Ávila (Marcus Vinicus). Técnico: Mano Menezes

Juiz: Delson Fernandes Freitas
Cartões amarelos: Ábila, Elias, André, Giovanni Augusto, Yago, Lucas
Renda: R$ 1.326.456,00
Público: 33.416 pagantes
Local: Pacaembu

Anúncios