Atlético-MG parte como favorito diante do renascido São Paulo

17016501130_7ec9e3847a_k
Pratto, a fera do Atlético-MG na Libertadores

Definidos os confrontos das quartas de final da Copa Libertadores 2016, teremos pelo menos um clube brasileiro, dos cinco que iniciaram na competição, nas semifinais. Um deles sairá do confronto entre o Atlético-MG e São Paulo. De início, não é muito complicado afirmar que o time mineiro é o favorito contra a equipe paulista.

Antes que os torcedores do Tricolor se exaltem com essa afirmação do blogueiro, é bom prestar atenção no desempenho dos dois times na primeira fase da Libertadores e nas oitavas de final.

O Galo navegou sem grandes problemas na fase de grupos. Garantiu a classificação às oitavas sem sobressaltos. Bem diferente do São Paulo, obrigado a suar sangue para beliscar uma vaga entre os 16 times que avançaram.

No passo seguinte, o Atlético-MG encarou o Racing, da Argentina, adversário mais duro do que o Toluca, do México, oponente do São Paulo. Nos jogos de ida e volta, o time de Minas suportou o empate sem gols em Buenos Aires e, em casa, venceu na conta do chá com uma exibição extraordinária do atacante Lucas Pratto.

O Tricolor amassou o Toluca no Morumbi. Não custa mencionar que o time mexicano jogou sem seis titulares naquela partida e com algumas improvisações na defesa. No México, a história mudou. Com quase todos os titulares, o Toluca venceu por 3 a 1 e escancarou deficiências crônicas no time de Edgardo Bauza.

Em uma análise simples dessas deficiências, se percebe que o goleiro Denis não é confiável – sempre que exigido entrega o pote de ouro. A zaga não raro bate cabeça com Maicon, bom pelo alto e fraco no chão, e Rodrigo Caio, agora da Seleção Brasileira de Dunga, que não inspira a menor confiança como defensor – vai melhor de volante.

Bruno e Mena nas laterais vão bem quando apoiam o ataque, mas são facilmente batidos quando têm de marcar. No meio-campo, Bauza está tranquilo com Hudson, Thiago Mendes e Schimidt. Na meia, a exuberância de Ganso e a dedicação de Michel Bastos, quando quer jogar, funcionam.

Cabe aqui uma ressalva. É preciso ver como Ganso vai reagir daqui para frente depois de entrar na lista dos 40 pré-convocados de Dunga para a Copa América e não aparecer na relação dos 23 chamados ontem pelo técnico da Seleção Brasileira. Ganso costuma sentir o golpe quando se esquecem dele no escrete nacional.

No ataque as coisas se complicam. Calleri, com bom faro de gol, se perde com a irritação juvenil. Centurión é desmiolado e se estrepa em lances pequenos. Alan Kardec continua ausente. Kelvin cisca muito, se mata, mas não é decisivo.

IMG_3075 (1)
Calleri, artilheiro do São Paulo e da Libertadores

No primeiro confronto diante do Atlético-MG, provavelmente na próxima quarta-feira, Bauza não sabe se poderá contar com Michel Bastos, machucado na coxa direita. Centurión, seu reserva imediato, foi expulso e deve pegar gancho pesado na Conmebol por ter cuspido na cara de um jogador do Toluca.

Tudo isso obriga o São Paulo a construir um sólido resultado no Morumbi, que, certamente, estará lotadaço. E a casa cheia costuma dar uma força incomum ao Tricolor.

Do outro lado, o Atlético-MG tem o bom goleiro Victor, o São Victor, dois laterais de seleção com Marcos Rocha e Douglas Santos, o espigado Leonardo Silva na zaga a espanar tudo e ainda bom no jogo aéreo ofensivo. Rafael Carioca e Júnior Urso são volantes de exceção e ainda tem Robinho e o fenômeno Lucas Pratto, o melhor atacante do futebol brasileiro neste momento.

Em casa o Galo é mortal, daí a necessidade de o São Paulo fazer a diferença no Morumbi. Time por time, o Atlético-MG tem mais cacife. Cabe a Bauza mudar essa história.

festejo-primer-gol-Ruben_OLEIMA20160505_0182_28
Festa do Rosario e decepção de Grohe, do Grêmio

Com a queda do Grêmio Porto-alegrense nesta quinta-feira, ao ser derrotado pelo Rosario Central por 3 a 0, na Argentina, a eliminação do Corinthians diante do Nacional e, ainda na fase de grupos, o Palmeiras, restaram apenas São Paulo e Atlético-MG como representantes do futebol brasileiro na Libertadores 2016.

Veja os confrontos das quartas de final da Copa Libertadores:

No lado esquerdo da chave teremos:
Rosario Central (ARG) x Atletico Nacional (COL)
São Paulo x Atlético-MG.

No lado direito da chave teremos:
Nacional (URU) x Boca Juniors (ARG)
Independente Del Valle (PER) x  Pumas (MEX).

Anúncios