Tite recebe aplausos antes da estreia e promete Seleção arrojada contra Equador

tite.treino

Tite não escondeu o time muito menos o que pensa do jogo contra o Equador na sua estreia no comando da Seleção Brasileira. Para espanto de jornalistas acostumados aos mistérios dos treinadores na cobertura do escrete, o novo chefe deu a escalação sem nenhuma cerimônia. Arrancou aplausos do séquito de repórteres e ele mesmo esbanjou largo sorriso.   Resta saber como será a reação após a dura partida que se apresenta contra os equatorianos, nesta quinta-feira (01/9) às 17h (horário de Brasília). O Brasil ocupa a sexta posição na classificação das Eliminatórias da Copa de 2018, portanto fora do Mundial da Rússia neste momento.

É um bom começo de Tite e uma demonstração de confiança no seu taco. O mais importante ali não era negar à imprensa a escalação dos 11 titulares na véspera do jogo. Sua preocupação, ao fechar todos os treinos da Seleção em Quito, era dar o mínimo possível de informações ao técnico e jogadores do adversário. Parece que conseguiu.

Ao revelar sua preferência sobre aqueles que vão iniciar a partida, Tite recorre a 8 jogadores que formavam a base da Seleção nos últimos meses sob o comando de Dunga. As novidades foram o zagueiro Marquinhos, a volta de Paulinho no meio-campo e a presença do garoto Gabriel Jesus no comando do ataque.

Veja os eleitos: Alisson, Daniel Alves, Marquinhos, Miranda e Marcelo; Casemiro; Willian, Paulinho, Neymar e Renato Augusto; Gabriel Jesus. O esquema: 4-1-4-1.

À primeira vista, o time de Tite não terá uma postura conservadora, medrosa, que vai jogar apenas pelo resultado. O novo chefe já anunciou sua disposição de ver a Seleção vencer e jogando bem. De imediato quer todos os jogadores se sentindo confortáveis como se estivessem em seus clubes.

Veja sua análise na montagem da nova Seleção Brasileira:

15585658d7e225dfa6aa688516068a1de6824a20-1“O treinador da Seleção procurou saber onde os atletas jogam em suas equipes, em que sistemas, quais posições e funções exercem. Com exceção do Gabigol, por ter jogado bem como 9 na Seleção Olímpica, eu o trouxe também com essa possibilidade. Gabriel Jesus é o goleador do Brasileiro como jogador terminal. Quis saber onde jogam Willian, Neymar, Renato, Paulinho, Casemiro, Marcelo, Miranda.”

“É minha ideia de posição e função para os atletas: atacar com seis numa ação ofensiva. É uma ideia da maioria dos clubes brasileiros e europeus.”

É uma boa teoria para um início de trabalho. Um passo à frente. Por enquanto, no campo da tese, parece tudo certo. Depois do jogo Tite vai ter certeza se acertou ou errou. No caso de derrota, pode esperar duras críticas. Aplausos de véspera não confortam a ninguém. Seleção Brasileira é muito maior do que se imagina.

Anúncios