Santos se reinventa com Dorival Júnior, vira em cima da Ponte e se candidata ao título do Brasileirão

30515241620_a55780980f_bSantos pede passagem e manda um duro recado ao líder Palmeiras. Não é para menos. Em situação desfavorável, quando se viu prejudicado pela CBF ao mudar o jogo com a Ponte Preta, de sábado à noite para domingo às 11h, encarou o time de Campinas e venceu de virada por 2 a 1 fora de casa. Resultado que pode ficar na conta do técnico Dorival Júnior ao reinventar o jeito de sua equipe jogar no segundo tempo. A quatro rodadas do fim do Brasileirão, o Santos pede e merece respeito.

Antes de entrar nos detalhes da vitória, uma das mais importantes do campeonato, cabe ressaltar a confusão provocada pela CBF.

Alertada pela Polícia Militar de Campinas, de que não poderia garantir a segurança do jogo  da Ponte sábado à noite – quase no mesmo horário, a torcida do Guarani se concentraria no estádio Brinco de Ouro para acompanhar nos telões a decisão da Série C do Brasileiro contra o Boa Esporte em Varginha-MG (Boa venceu por 3 a 0 e conquistou o título) -, a CBF resolveu apenas na sexta-feira à noite mudar dia e horário da partida no Moisés Lucarelli. Naquele momento, a delegação santas já estava na estrada rumo à Campinas.

Toda a logística do Santos estava montada para jogar no sábado à noite e não no domingo de manhã, como acabou acontecendo. Por isso, na camisa dos jogadores santistas estava escrito “faltou respeito”, um protesto forte contra a decisão repentina da CBF.

No jogo, o time de Dorival Júnior sofreu no primeiro tempo. Sem Luiz Felipe (machucado), seu principal zagueiro, e Lucas Lima (suspenso), não teve equilíbrio para se impor. Pior, levou um gol de pênalti, aos 21, convertido por Potkker.

A mudança da água para o vinho se deu no segundo tempo. Dorival trocou o fraquíssimo zagueiro argentino Fabian Noguera pelo volante Yuri, ex-Audax, na volta do intervalo. E, um pouco mais tarde, Leo Citadini entrou no lugar de Victor Bueno, ainda sem ritmo de jogo.

Com as alterações, o Santos passou a ter começo (saída de bola organizada por Yuri), meio (Citadini dando velocidade na armação do ataque) e fim (Ricardo Oliveira e Copete agora bem servidos).

Não foi apenas uma boa sacada de Dorival Júnior. Ele havia treinado essa formação, com a entrada de Yuri na zaga, no caso de uma emergência. Quando percebeu que o esquema usado no primeiro tempo não funcionava, recorreu ao que havia ensaiado e resolveu o jogo a seu favor. De um rebote de chute de Citadini, Ricardo Oliveira empatou, aos 21. E Copete fez o gol da virada, em outra jogada que passou por Citadini, aos 43 minutos.

Esta vitória deu ao Santos a vice-liderança, com 64 pontos – um mais que o Flamengo, agora terceiro colocado, e três a menos que o líder Palmeiras, que jogaria às 17h contra o Internacional.

Se faltou respeito por parte da CBF, não vai faltar aos candidatos ao título. Santos vem aí e, se descuidarem, pode tomar conta do Brasileirão.

o_20131112013643_fluminense_age_rapido_e_confirma_dorival_junior_como_substituto_de_luxa

FICHA DO JOGO

Ponte Preta 1 x 2 Santos

Gols: Potkker, aos 21 minutos do primeiro tempo; Ricardo Oliveira, aos 21; e Copete, aos 43 minutos do segundo tempo

Ponte Preta: Aranha, Nino Paraíba, Giolli, Antônio Carlos e Reinaldo; João Vitor (Abuda), Wendell (Thiago Galhardo) e Rhayner; Maycon (Elton), Potkker e Clayson. Técnico: Eduardo Baptista

Santos: Vanderlei, Victor Ferraz, David Braz, Fabian Noguera (Yuri) e Zeca; Thiago Maia, Renato e Jean Mota (Artur Maia); Vitor Bueno (Leo Citadini, Ricardo Oliveira e Copete. Técnico: Dorival Júnior

Juiz: Braulio Batista Machado
Cartões amarelos: David Braz e Abuda
Renda: R$ 103.740,00
Público: 10.208 pagantes
Local: Moisés Lucarelli

Anúncios