Corinthians precisa urgente de Pato e São Paulo busca atacante gringo

cueva-comemora-gol-do-sao-paulo-contra-o-corinthians-1468784260587_615x300

Empate no clássico no Itaquerão deixa claro a necessidade que o Corinthians tem de um atacante acima da média. Nome dele é Alexandre Pato, em fase final de recondicionamento físico. O São Paulo, depois de se espatifar na Libertadores e perder de uma tacada só Ganso, Calleri e Alan Kardec, também precisa urgente de um goleador destemido. E nome dele não é Gilberto, contratado na sexta-feira.

A carência no ataque do Corinthians ficou nítida quando Cristóvão Borges inventou Danilo como um falso 9. Apostou na capacidade do veterano meia em escorar a zaga são-paulina a favor da chegada dos meias na zona de finalização. Um equívoco absurdo. Danilo está envergado, sem um pingo de mobilidade e não rende quando inicia as partidas. É jogador para uma emergência, de 25 minutos, no máximo.

Cristóvão não reconheceu de público seu erro, mas admitiu que Pato e André podem formar uma bela dupla de ataque. Pato não seria homem de referência de área. Seu habitat natural é entrar em diagonal tendo como ponto de partida o setor esquerdo. André tem mais pose de atacante que mata fome com as migalhas que sobram na grande área.

 

Pato e André, a solução está em casa. Difícil não é arrumar um lugar no time para os dois. Complicado mesmo é Cristóvão convencer os outros jogadores e, fundamental, a Fiel de que a dupla tem a cara do Corinthians.

No caso do São Paulo, Edgardo Bauza vai ter de navegar sobre grandes ondas. As baixas por atacado comprometeram sua embarcação. Ele dispõe de remadores obedientes, que dão alguma sustentação ao time, mas falta uma estrela guia lá na frente. Alguém com a destreza de Calleri na hora de conferir o gol. Gilberto e Centurión, nem pensar.

Bauza diz que vai buscar outro argentino, como Calleri, para resolver este problema. No clássico contra o Corinthians o treinador sentiu falta desse personagem. No lugar de Ganso, pode se virar com Cueva. O peruano faz o time ser mais veloz na saída ao ataque, diferente da cadência inteligente de Ganso.

esporte-corinthians-sao-paulo-20160717-011

É preciso ainda conter o dique na defesa, em especial na lateral-esquerda com Mena. O chileno já mostrou que é fraco. No seu setor, os adversários entram sem problemas e arrebentam a represa.

Detectados esses problemas no clássico, o Corinthians se mostrou confuso e tenso em boa parte do jogo. O São Paulo até que surpreendeu ao se superar da esfrega na Libertadores e lutar no limite de suas forças para não sair derrotado mais uma vez do Itaquerão.

FICHA DO JOGO

Corinthians 1 x 1 São Paulo

Gols: Cueva, aos 15; Rodriguinho, aos 21 minutos do primeiro tempo.

Corinthians: Cássio; Fagner, Yago, Balbuena e Uendel; Bruno Henrique e Rodriguinho (Elias); Marquinhos Gabriel (Rildo), Giovanni Augusto (Guilherm) e Romero; Danilo. Técnico: Cristóvão Borges.

São Paulo: Denis; Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Mena; Hudson e Thiago Mendes; Centurión (Gilberto), Cueva e Michel Bastos (Luiz Araújo); Ytalo (Wesley). Técnico: Edgardo Bauza.

Juiz: Pericles Bassols Pegado Cortez
Cartões amarelos: Rodrigo, Elias e Fagner; Hudson, Thiago Mendes e Cueva.
Público: 42.099 pagantes
Renda: R$ 2.620.166,00
Local: Itaquerão

Anúncios