Flamengo corre atrás do Palmeiras em 2017

4bb9228521b7706f8af0ab6511487c18Palmeiras e Flamengo entram em 2017 da mesma forma como fecharam 2016. O clube paulista leva vantagem diante do carioca, assim como aconteceu no Brasileirão do ano passado. Seja na contratação de reforços, seja nos acordos de patrocínio. Confronto saudável e um bem ao futebol brasileiro neste início de temporada.

Veja, por exemplo, o esforço do Flamengo na busca por um novo patrocinador. Acaba de fechar um contrato de seis anos com empresa de energéticos tailandesa Carabao. Acordo que vai render R$ 190 milhões – R$ 15 milhões em 2017 e, a partir de 2018 até 2022, R$ 35 milhões anuais. No ano que vem, a Carabao ocupará o espaço master da Caixa Econômica Federal na camisa alvinegra.

Destaco aqui um trecho da reportagem da revista Meio & Mensagem sobre a nova patrocinadora do Flamengo:

“Criada em 2002, a Carabao nasceu no mesmo país onde Dietrich Mateschitz, fundador da Red Bull, descobriu a substância taurina, em 1984, após uma viagem à região. O componente tornou-se a principal base dos energéticos.

O nome, uma homenagem ao cantor de folk Aed Carabao, também significa búfalo em tailandês e remete ao símbolo de força e energia. A empresa iniciou seu processo de internacionalização em 2004 e fechou o ano de 2015 com um faturamento de US$ 225 milhões sendo dona de 17% do mercado de energéticos da Tailândia. Por lá, os principais consumidores da bebida são trabalhadores de setores com alto nível de esforço físico como operários de minas e confecções.

A principal plataforma de marketing da Carabao é o patrocínio ao futebol. A empresa detém o título de sponsor da English Football League e é parceira do Chelsea no fornecimento de uniformes em um contrato avaliado em US$ 12,2 milhões ao ano. A empresa também patrocina o time inglês Reading FC em um contrato de  US$ 37 milhões anuais.”

Com a Carabao e mais parceiros de marketing na camisa, o clube carioca deve beliscar cerca de R$ 99 milhões.

Palmeiras tem uma situação bem mais confortável. Está no processo final de renovação de contrato com a Crefisa, avaliado em R$ 88 milhões anuais – com possibilidade de pular para R$ 100 milhões.

Principal patrocinadora do campeão brasileiro de 2016, a Crefisa tem um capital estimado em R$ 2 bilhões. A empresa atua no mercado de crédito financeiro e está com o Alviverde desde a temporada de 2015.

Fora o aporte anual, ainda banca a contratação de jogadores, como é o caso do atacante Lucas Barrios. Neste início de 2017, a Crefisa promete investir em um reforço de expressão.

Em 2016, a empresa teve problemas com o ex-presidente Paulo Nobre e, segundo bastidores do clube, tem boas possibilidades de se entender melhor com Mauricio Galiotte, o novo presidente do Palmeiras.

Na corrida por reforços, Flamengo anda mais tímido que seu concorrente. Fechou a contratação do meia argentino Dario Conca, que retorna do futebol chinês. Em processo de recuperação de uma lesão, o craque só deve jogar em abril. Até lá, o Fla não vai pagar seus salários. Há expectativa de anunciar o ótimo Marinho, atacante do Vitória, uma bela contratação.

Enquanto isso, o Palmeiras já fechou com cinco reforços ao custo estimado de R$ 25 milhões: os meias Guerra (Atlético Nacional), Michel Bastos (ex-São Paulo), Hyoran (Chapecoense), Raphael Veiga (Coritiba) e o atacante Keno (Santa Cruz). Em contrapartida, perdeu Gabriel Jesus, vendido ao Manchester City.

Nesta quarta-feira, deve anunciar a chegada do volante Felipe Melo, ex-Inter de Milão.

Neste ritmo, o campeão brasileiro de 2016 vai começar 2017 com larga vantagem sobre o Flamengo, seu principal rival na briga pelo título na temporada passada. A conferir.

DOIS TOQUES:

1. Leia o eBook do Palmeiras campeão brasileiro de 2016. Acesse o link abaixo: 

Palmeiras Maior Campeão

jesusebook

À venda ainda na plataforma iBook.

2. Me acompanhe também no chuteirafc.com.br, um novo espaço de análise, debate e informações do futebol.  

Anúncios