Tite acerta ao resgatar Thiago Silva, capitão de Felipão na Copa de 2014

selecao-brasileira-thiago-silva-480-getty-jpg

Tite resgatou Thiago Silva, capitão do Brasil na Copa de 2014, após um ano longe da Seleção. O zagueiro do PSG estava afastado desde a Copa América de 2015 no Chile por ter cometido um pênalti. Dunga não quis saber mais de Thiago Silva, apontado pelos europeus como um dos melhores do mundo na posição. Pesava contra o beque a fama de chorão e o rio de lágrimas derramado minutos antes da decisão nos pênaltis contra o Chile nas oitavas de final do Mundial de 2014. Tite optou pelo bom futebol de Thiago Silva e acertou com a convocação para os jogos contra Bolívia e Venezuela, em outubro, nas Eliminatórias da Copa de 2018.

Não se pode jogar fora jogadores de estirpe, apenas por um desequilíbrio emocional, sem se ater à bola que ele joga. Thiago Silva é chorão, mas joga muito. E não deveria ficar fora da Seleção por capricho de treinadores.

Outro que volta, ainda sob a mancha dos 7 a 1, é o volante Fernandinho. Naquele trágico jogo contra os alemães no Mineirão, ele teve sua parcela de culpa pelo desastre. Voltou com Dunga e não convenceu. Com a chegada de Pep Guardiola no Manchester City, Fernandinho passou a ter outro status. Embora seja cedo para uma avaliação mais criteriosa, o futebol do volante cresceu com Guardiola e tem campo para progredir.

Fernandinho tem mais bola que Rafael Carioca, do Atlético-MG, preterido agora por Tite.

Mais um do 7 a 1, Oscar. Também esquecido por Dunga nas últimas temporadas da Seleção, o meia é resgatado por Tite. O novo treinador da Seleção se entusiasmou com as últimas atuações de Oscar no Chelsea dirigido por Antonio Conte. Disse Tite que Conte fez uma boa análise do comportamento tático do meia. Ganhou pontos e voltou ao escrete.

Oscar ainda não convenceu na Seleção Brasileira. Teve todas as chances do mundo com Felipão e não entregou o que dele se esperava. Tem mais uma oportunidade para mostrar que é útil.

Douglas Costa e Firmino não eram da Seleção na Copa de 2014, mas eram nomes lembrados nas listas de Dunga entre 2011 e 2012. Firmino surgiu e desapareceu como um cometa no escrete. Douglas Costa teve mais tempo.

Os dois têm se destacado no Bayern Munique e no Liverpool. Têm bola para vestir a camisa amarela. E chegam para ocupar espaço de veteranos como Jonas e Ricardo Oliveira, os preferidos por Dunga.

E a outra novidade se deu com a convocação de Alex Muralha. Convenhamos, não é um assombro. Convenceu o treinador no empate (1 a 1) entre Flamengo e Palmeiras. É pouco.

 

Os 24 convocados

Goleiros
Alisson (Roma) -23 anos
Weverton (Atlético-PR) – 28 anos
Alex Muralha (Flamengo) – 26 anos

Laterais
Daniel Alves (Juventus) – 33 anos
Fagner (Corinthians) – 27 anos
Marcelo (Real Madrid) – 28 anos
Filipe Luis (Atlético Madrid) – 31 anos

Zagueiros
Thiago Silva (PSG) – 31 anos
Miranda (Inter de Milão) – 32 anos
Marquinhos (PSG) – 22 anos
Gil (Shandoug) – 28 anos

Volantes
Casemiro (Real Madrid) – 24 anos
Fernandinho (Manchester City) – 31 anos

Meias
Paulinho (Guangzhou) – 28 anos
Renato Augusto (Beijing) – 28 anos
Willian (Chelsea) – 28 anos
Oscar (Chelsea) – 25 anos
Philipe Coutinho (Liverpool) – 24 anos
Lucas Lima (Santos) – 26 anos
Giuliano (Zenit) – 26 anos

Atacantes
Douglas Costa (Bayern Munique) – 26 anos
Roberto Firmino (Liverpool) – 24 anos
Gabriel Jesus (Palmeiras) – 19 anos
Neymar (Barcelona) – 24 anos

Estavam na primeira convocação de Tite e ficaram fora nesta nova lista: Marcelo Grohe (Grêmio), Pedro Ceromel (Grêmio), Rodrigo Caio (São Paulo), Rafael Carioca (Atlético-MG), Taison (Shakhtar Donestk) e Gabigol (ex-Santos, hoje na Inter de Milão)

 

Anúncios