São Paulo parte firme rumo ao rebaixamento e Santos sonha

pro-20.jpg

São Paulo é candidato sério ao rebaixamento a oito rodadas do fim do Brasileirão. Está apenas a três pontos da zona da degola. Pior, não tem como reagir. A derrota por 1 a 0 no clássico contra o Santos escancara, mais uma vez, o quanto o time é desequilibrado. Quando se desdobra com força de vontade e entrega, sucumbe à falta de recursos, em especial na linha de ataque. Torcedor são-paulino sabe que vai sofrer até o fim. E do outro lado, o Santos a cada rodada consolida sua vaga na Libertadores de 2017.

A situação do São Paulo é tão complicada que nem mesmo os mais otimistas se lembram da chegada de Marco Aurélio Cunha, apontado como novo messias para endireitar o futebol e safar do rebaixamento. Desde a posse do novo dirigente, quase nada aconteceu de positivo.

Ricardo Gomes, já fora dos planos para a próxima temporada, não consegue organizar o time. Apostas equivocadas se confundem com a baixa qualidade dos jogadores. Na contabilidade, tem mais erros a acertos. Insiste em um meio-campo com Hudson, Thiago Mendes e Wesley. Um trio sem lastro e desprovido de inteligência na hora de criar alguma coisa. São serventes, não arquitetos.

No ataque, quando Chávez perdeu o prumo, os gols viraram miragem. Aliás o argentino, de poucos recursos, perdeu gol feito no segundo tempo, que poderia dar o empate contra o Santos. De bom, apenas uma pressão nos 20 minutos finais do primeiro tempo e a mesma dose na parte final do clássico. Pouco para quem vive na agonia.

Do lado do Santos, nada de muito extraordinário a não ser o futebol correto de troca de passes, o equilíbrio e a fome de gol. Copete, no início do segundo tempo, traduziu bem essa  equação ao fazer o gol da vitória com ajuda de Lucas Lima.

Esse gol do colombiano alavanca o Santos e implode o São Paulo. Santistas sonham, tricolores se desesperam. Glória e agonia até o fim do Brasileirão.

pro4-18

FICHA DO JOGO

São Paulo 0 x 1 Santos

Gol: Copete, a 1 minuto do segundo tempo

São Paulo: Denis; Buffarini, Rodrigo Caio, Maicon e Mena; Hudson (Jean Carlos), Thiago Mendes, Wesley (Cueva) e Carlinhos (Kelvin); Robson e Chávez. Técnico:Ricardo Gomes

Santos:Vanderlei; Victor Ferraz (Daniel Guedes), Luiz Felipe, David Braz e Zeca; Renato (Fabian Noguera), Thiago Maia e Lucas Lima (Yuri); Jean Mota, Copete e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior

Juiz: Anderson Daronco (RS)
Cartões amarelos: Mena, Robson, Zeca e Copete.
Público: 28.321 pagantes
Renda: R$ 570.430,00
Local: Pacaembu

Anúncios