Renato Gaúcho chuta os que não acreditam na fórmula pronta do sucesso no futebol

6xz7ftsm98a4tluul5wki5pw9

Futebol tem fórmulas prontas de sucesso… na cabeça dos dirigentes. Quando dá certo, aplausos. Quando não funciona, pedradas. O exemplo vem do Sul. Inter e Grêmio, em apuros no Brasileirão e embarcados no fracasso da temporada, recorreram às tais fórmulas do sucesso. No caso, de volta ao passado. O Inter se deu muito mal. O Grêmio conquistou a Copa do Brasil. No futebol cabe tudo.

Vamos aos fatos. Quando embicou em queda livre no Brasileirão, o presidente Vitório Piffero, que não se perca pelo nome, defenestrou Paulo Roberto Falcão – ídolo maior do clube -, com apenas 27 dias no comando do time.

Piffero recorreu ao passado, à fórmula pronta do sucesso. Contratou Celso Roth, um treinador com fama de resolver problemas emergenciais e salvar times gaúchos do colapso. O presidente do Inter ainda resgatou os dirigentes Fernando Carvalho e Ibsen Pinheiro. Os dois mais Roth são conhecidos como a “SWAT Colorada”.

Em vez da salvação, o caos. Inter despencou ainda mais e deve ser rebaixado à Série B neste domingo. Aliado aos maus resultados, o desespero com declarações ridículas dos cartolas em meio à tragédia da Chapecoense.

Na outra metade do futebol gaúcho, o Grêmio também buscou no seu passado a corda que puxa os náufragos. Investiu no técnico Renato Gaúcho e no ex-treinador Valdir Espinosa. Renato estava parado há quase dois anos no Rio. Seu lazer preferido era o futevôlei. Espinosa levava vida de aposentado.

Renato, ídolo na época de jogador e campeão do mundo com o Grêmio em 1983. Espinosa, técnico do time campeão do mundo em 1983.

Os dois herdaram o time montado por Roger Machado. Analisaram a situação no Brasileirão, concluíram que seria mais produtivo investir na Copa do Brasil. E conseguiram ser campeões nesta quarta-feira no empate (1 a 1) contra o Atlético-MG.

Após levantar a taça, Renato Gaúcho bateu forte nos que não comungavam com a fórmula pronta do sucesso, no caso a volta ao passado:

“Eu coloco o seguinte: futebol é para quem conhece. É que nem andar de bicicleta. Você não desaprende. Quem precisa, estuda, tem que ir para Europa. Quem não precisa, pode tirar umas férias na praia sem problema nenhum. Muita gente criticou que estão (dirigentes do Grêmio) trazendo um treinador que estava jogando futevôlei na praia. E aí? Quem não sabe (sobre futebol), vai estudar.”

#forçachapecoense

Anúncios